1º de março Notícias da guerra na Ucrânia: Rússia intensifica ataques, ataque com míssil atinge memorial do Holocausto, Reino Unido diz que blindagem pesada está se aproximando de Kyiv

O ataque da Rússia à Ucrânia deve desencadear “a maior crise de refugiados da Europa neste século”, já que mais de 660.000 pessoas fugiram dos combates nos últimos seis dias.

De acordo com a agência de refugiados da ONU, a maioria das mulheres e crianças com “poucos pertences” deixaram suas casas na Ucrânia para os países vizinhos desde a invasão da Rússia na quinta-feira.

As pessoas estão esperando até 60 horas para entrar na Polônia, enquanto as filas na fronteira romena chegam a 20 km, disse Shabia Mantoo, porta-voz da agência de refugiados da ONU, em um briefing em Genebra.

“Muitos que partiram apenas com as roupas do corpo e poucos pertences precisarão de assistência internacional”, disse o ACNUR na terça-feira.

Os países vizinhos, e as comunidades locais em particular, estão fazendo “tudo” para acolher e apoiar esses refugiados, “mas eles precisarão de apoio contínuo e forte nas próximas semanas”, disse a agência.

“O ACNUR e outras organizações humanitárias só poderão ajudar os ucranianos deslocados dentro e fora da Ucrânia se pudermos garantir segurança e acesso e se tivermos os recursos e apoio para fazer nosso trabalho”, acrescentou ela.

Filippo Grandi, comissário do ACNUR, disse na segunda-feira que o número de refugiados “aumentou exponencialmente”. Ele observou que em seus 40 anos de trabalho em crises de refugiados, “raramente ele viu uma taxa incrivelmente rápida de êxodo de pessoas”.

A Polônia informou que um total de 350.000 refugiados cruzaram a fronteira desde quinta-feira, incluindo 100.000 nas últimas 24 horas, disse o ministro do Interior, Maciej Wasik, à emissora pública Polskie Radio 1.

De acordo com Lora Lyubenova, porta-voz da Direção Geral da Polícia de Fronteiras, mais de 7.000 ucranianos entraram na Bulgária desde que a Rússia invadiu há seis dias.

A Alemanha disse na segunda-feira que 1.800 refugiados chegaram da Ucrânia nos últimos dias, enquanto refugiados estavam chegando na Itália e na Grécia.

Janez Lenarcic, comissário de Gerenciamento de Crises da Direção-Geral de Proteção Civil Europeia e Ajuda Humanitária, disse que a guerra ameaça deslocar “milhões de ucranianos”.

“Peço a toda a comunidade internacional de doadores que também responda generosamente”, acrescentou.

Alberta Gonçalves

"Leitor. Praticante de álcool. Defensor do Twitter premiado. Pioneiro certificado do bacon. Aspirante a aficionado da TV. Ninja zumbi."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *