A política regressa: Congresso do PS em Portimão promete erradicar a pobreza enquanto partidos minoritários fazem campanha para eleições autárquicas

A política estava de volta à agenda neste fim de semana, já que todos os partidos se encaminhavam para a “reta final” para as eleições locais do próximo mês.

Em Portimão, os socialistas do PS realizaram o seu congresso anual, com o primeiro-ministro António Costa a “seditar” o tempo todo – instando o seu partido a recuperar o seu mojo e procurar a glória pós-pandemia.

O discurso de encerramento naquela noite foi cheio de promessas: o apoio social deveria ser aumentado; o abono de família é prorrogado; haverá mais creches para bebês e crianças pequenas; “Vamos eliminar a pobreza infantil neste país”, trovejou – já que o foco deve ser incentivar as famílias portuguesas a ter mais filhos para que o país se mantenha sustentável (clique aqui).

Os partidos minoritários foram rápidos em criticar: dizem que as próximas mensagens são “previsíveis”, “em vista das próximas eleições”, “não suficientes” (Bloco de Esquerda), até “trágicas” (Iniciativa Liberal). Mas o cenário está definido para as próximas semanas, durante as quais os socialistas do PS farão o máximo para manter o país do seu lado, pois há uma espécie de luta pelo poder internamente: espera-se que o Sr. em dois anos, neste momento, várias personalidades disputaram a atenção.

Hoje, o Sr. Costa jogou o nome da ministra da Saúde Marta Temido no ringue “do nada” e disse que ela poderia se tornar sua sucessora.

Em termos de popularidade, a Sra. Temido, sem dúvida, ganhou durante a pandemia. Mais 100.000 pessoas foram vacinadas neste fim de semana, à medida que o país se aproxima de sua meta de ter 85% totalmente vacinados até o outono.

natasha.donn@algarveresident.com

FIM

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.