Abramovich deve manter a cidadania portuguesa — por enquanto

Novas sanções que estão sendo preparadas pela União Europeia contra oligarcas russos como resultado da invasão da Ucrânia podem atingir o bilionário russo Roman Abramovich, mas a privação administrativa da cidadania portuguesa nesse sentido não é possível, segundo o governo.

“Como parte da preparação de novas sanções pela UE [European Union]que carecem de base legal, Portugal já manifestou, na voz dos Ministros de Estado e dos Negócios Estrangeiros, o seu apoio à inclusão de novas personalidades devido à sua aparente ligação às decisões do Presidente Putin, o que se aplica a Roman Abramovich, entre outros, ” partilhou o Ministério da Justiça.

De acordo com a mesma nota, “as sanções da UE não cobrem nem podem, por razões fundamentais de respeito pelo Estado de direito, cobrir a perda administrativa da cidadania”.

detecção

No entanto, na resposta dirigida à Lusa, o MJ recorda que “as condições para a concessão desta nacionalidade são objeto de investigação judicial em curso”. O governo reitera ainda que as sanções impostas pela UE, que já afetam “muitas centenas de cidadãos russos associados ao regime” e que deverão em breve ser alvo de um novo pacote de medidas punitivas, “serão aplicadas prontamente no nosso país. ” mas os decretados por “países terceiros, como o Reino Unido, não se aplicam necessária e diretamente no território da União Europeia”.

Em particular, os cidadãos russos afetados pelas sanções foram proibidos de circular no espaço europeu e viram seus bens congelados no espaço comum.

Sanções britânicas

As sanções britânicas interromperam o processo de venda do clube de futebol inglês Chelsea, de propriedade de Abramovich, e o clube ainda está proibido de vender cartas de baralho e negociar jogadores. O bilionário russo anunciou no início deste mês que estava vendendo o clube dos campeões europeus e mundiais “devido à situação atual” em que a Rússia invadiu a Ucrânia e prometeu devolver os lucros às vítimas do conflito.

nacionalidade

A Procuradoria-Geral da República (PGR) em Portugal confirmou no dia 19 de janeiro que a concessão da cidadania portuguesa ao empresário russo Roman Abramovich ao abrigo da Lei de Cidadania para Judeus Sefarditas está a ser investigada pelo Ministério de Estado.

Paralelamente, o Instituto dos Registos e Notariado (IRN) anunciou no final de janeiro que abriria um inquérito sobre o assunto. As informações de naturalização do bilionário russo foram divulgadas no final de 2021.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *