Análise: São Paulo se reinventa e encontra soluções para levar vantagem na Copa do Brasil

A equipe foi competitiva (como na maioria dos jogos) e começou na frente contra o América-MG, em um jogo em que esticou a bola mais do que gostaria; Thiago Couto vive a redenção. O São Paulo encontrou soluções dentro de campo e conseguiu sair na frente no confronto contra o América-MG, no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. A equipe de toque de bola, considerada ideal por Rogério Ceni, ficou em segundo plano, e os lances longos ditaram a estratégia vencedora no Morumbi.

A vitória por 1 a 0 sobre o time mineiro aconteceu graças à insistência nas bolas longas, na reinvenção. A preferência pela bola no chão, com troca de passes, acabou alterada com o que se apresentava em campo. Era comum ver zagueiros procurando Calleri e São Paulo avançando para pegar a segunda bola. O gol de vantagem no duelo nasceu justamente dessa forma. A equipe ampliou a jogada, lutou pela posse de bola e encontrou Igor Vinicius com liberdade. Aí vem o segundo destaque da noite: a diferença feita pelos alas nos últimos jogos, o que justifica a opção por três zagueiros mesmo em momentos de desfalque e instabilidade no setor.

+ Quer transformar seus conhecimentos de futebol em prêmios em dinheiro a cada rodada do Brasileirão? Acesse Cartola Expresso!

Mais do São Paulo + Vídeo: Ceni abraça Thiago Couto após pênalti defendido + Luciano sai do jogo com dores e se preocupa com sequência + Performances: os gols dos jogadores contra o América Aos 34 minutos da primeira etapa, Igor Vinicius cruzou na medida e Luciano balançou as redes do América. Movimento semelhante ao de Welington levantando a bola na cabeça de Calleri contra o Goiás, no último sábado. A estratégia que resultou no gol difere da equipe considerada ideal por Rogério Ceni. Assim como na noite de quinta-feira, o técnico optou por um meio-campo mais leve, com Gabriel Neves, Igor Gomes e Rodrigo Nestor. O controle pela posse não apareceu antes da América.

O São Paulo em apuros, por outro lado, estava lá. Quando a qualidade não se sobrepõe, surge a competitividade. É algo comum para a versão 2022 da equipe comandada por Rogério Ceni, que deu mais um passo importante na temporada.

Cada bola, cada disputa, era encarada da mesma forma. Do primeiro ao último minuto, a equipe de Rogério Ceni competiu. É difícil vencer esse São Paulo, seja nos pontos seguidos ou nos playoffs.

A noite ainda reservou uma situação especial para o goleiro Thiago Couto, titular pela terceira vez consecutiva diante dos problemas nas costas de Jandrei. O jovem criado em Cotia se viu em situação difícil ao cometer o segundo pênalti neste período de apenas mais de uma semana. Tudo isso diante das notícias da busca por um novo goleiro para, no mínimo, competir com Jandrei.

O pênalti cometido de forma desajeitada, fora do tempo, contrastou com a postura de Iago Maidana. Frio, Thiago Couto esperou até o último momento para cair no canto esquerdo. Quando ele caiu, ele segurou com segurança e facilidade o chute ruim de seu rival.

Um novo goleiro pode chegar, mas a defesa de Thiago Couto pode fazer a diferença na partida. Afinal, o São Paulo joga pelo empate no dia 18 de agosto, às 21h, para avançar às semifinais e se manter vivo na busca pelo inédito título da Copa do Brasil.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *