Apenas 5% da energia é importada em Portugal da Rússia

Quase dois terços da energia consumida em Portugal em 2020 foi importada, uma percentagem acima da média europeia. No entanto, Portugal é o quarto país menos dependente da energia russa.

Segundo o relatório do ECO, em 2020, em pleno ano de pandemia, a União Europeia (UE) importou 58% da energia consumida, porque a produzida em blocos comunitários apenas atendia 42% da necessidade. Segundo o Eurostat, Portugal é mais dependente da energia externa do que a média: naquele ano importou 65% da energia consumida, nomeadamente gás natural e petróleo. Apenas 5% dessas importações vêm da Rússia.

De toda a energia disponível na UE, a maior parcela (34,5%) está relacionada ao petróleo e seus derivados, 23,7% ao gás natural, 17,4% às renováveis, 12,7% à energia nuclear e 10,2% aos combustíveis fósseis sólidos (por exemplo, carvão ). Mas 58% desses componentes foram produzidos fora da UE até 2020.

E a maioria (24,4%) da energia importada para o bloco da UE vem da Rússia, segundo dados do Eurostat. O gás natural, essencial para a produção de eletricidade e aquecimento, é o componente mais exposto às importações russas. Em 2020, a UE importou 46% do gás natural utilizado naquele ano da Rússia, representando 41,1% da energia bruta disponível.

O petróleo, importante para as indústrias de transporte e petroquímica, é o componente com a segunda maior exposição às importações russas. Até 2020, a UE dependerá da Rússia para 26% de suas importações de petróleo bruto, atendendo assim a 37% de suas necessidades de energia.

Finalmente, os combustíveis fósseis sólidos têm a menor dependência das importações da Rússia, que fornecem 19% do total. No caso particular do carvão, a UE importa 53% deste material da Rússia, o que representa 30% do consumo da UE.

Analisando a energia consumida em Portugal, os dados do Eurostat mostram que o mix energético português (43,7%) é liderado pelo petróleo e seus derivados, 28,9% pelas energias renováveis ​​e biocombustíveis, 23,5% pelo gás natural, 2,6% pelos combustíveis fósseis sólidos e 0,6% pela eletricidade. De toda a energia consumida em Portugal em 2020, 65,3% foi importada — 99,3% de gás natural e 97,6% de petróleo.

energia russa

Ainda segundo o Eurostat, 5% da energia importada para Portugal vem da Rússia: 9,6% do gás natural utilizado no país e 6% do petróleo. Portugal, portanto, entre os 27 Estados-Membros, é o quarto país menos dependente da Rússia em termos energéticos.

Os países mais dependentes da energia russa são a Hungria (54,2% da energia importada vem da Rússia), os Países Baixos (49%) e a Grécia (46,5%). Em lados opostos da tabela estão a Irlanda (3,2%), Noruega (3,9%) e Luxemburgo (4,3%).

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.