Ceni diz que pensou em colocar Reinaldo para bater pênalti no São Paulo e dá força a Calleri

O técnico Rogério Ceni revelou que pensou em colocar Reinaldo em campo para cobrar pênalti aos 36 minutos do segundo tempo, nesta quarta-feira, no Morumbi, contra o Ceará, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana.

O Tricolor já vencia por 1 a 0, quando o lateral-esquerdo Victor Luis, do Ceará, deu uma cotovelada em Calleri dentro da área. Reinaldo, cobrador oficial, estava na bancada e não entrou. Calleri atirou e errou.

– Passou pela cabeça dele colocar Reinaldo, mas ele não joga há 30 dias. Como você colocaria o primeiro toque, para ele cobrar um pênalti? Eu me sentiria confortável e não sentiria o peso da bola, com aquela atmosfera? Foi aí que avaliei, pensei e voltei. Dois jogadores poderiam vencer: Calleri e Nikão – disse Ceni.

– Calleri foi determinado como primeiro, Luciano como segundo. Achei que ele ia sair para o golpe, ele tinha sinalizado para o Nikão bater. Ele foi denominado como o primeiro olheiro. Infelizmente a bola não entrou. Temos que apoiá-lo, ele já resolveu muito para nós. Isso mostra que é uma equipe, temos que demonstrar que temos chances de recuperar de um erro que poderia dar uma vitória mais tranquila – acrescentou.
Se o São Paulo convertesse o pênalti, poderia ter a chance de levar vantagem mais tranquila para o duelo de volta, na próxima quarta-feira, no Castelão.

Apesar de isentar Celleri do erro, Rogério Ceni considera perigosa a vitória por 1 a 0. Na Copa do Brasil, o time também abriu a vantagem mínima contra o América-MG, nas quartas de final do torneio.

– A vantagem é pequena, é uma vantagem. Faz o oponente se expor. A vantagem é mínima. O América estava 3 a 1 em casa esses dias, o Ceará estava 1 a 0 e fez 3 a 1. Já imaginou como será com o América do Mancini ou o Ceará. E no Brasileiro teremos jogos muito “tranquilos” com Flamengo e Bragantino – analisou.

O São Paulo volta a campo no próximo sábado, às 20h30, para enfrentar o Flamengo, pela 21ª rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe não vence há cinco partidas na competição.

Mais da entrevista de Ceni:
Ataque pela esquerda e gramado do Castelão
– O Ceará é um time alto. Para abrir mão de três zagueiros, não temos tanta altura. Temos que nos defender de bolas paradas que são perigosas. O lado de Mendoza, temos que proteger melhor e atacar por outro lado, requer atenção. Estamos assistindo os jogos no Castelão, que é um estádio fantástico, mas o principal, que é o gramado, infelizmente muitos jogos, todo mundo jogou lá, o gramado não aguenta. Teremos que pensar sobre isso, pois isso vai para uma conta de jogo. Um gramado ruim é difícil para quem o constrói. Para se defender, o gramado até ajuda. Vamos tentar observar o gramado no fim de semana.Avaliação do momento
– Não gosto de reconstruir times no meio da temporada, é raro fazer isso no Brasil. O que ele aprendeu desde o início, o Galoppo que chega aqui, não poderá aprender ao mesmo tempo. André Anderson está lesionado, mas sentiu dificuldades. Leva tempo e treino, é o mínimo que temos. Torna-se mais difícil organizar a equipe em campo. Eles são importantes e ajudam os reforços, por exemplo os zagueiros que precisamos. É de difícil acesso, embora seja a posição mais simples. Reconstruir uma equipe não é simples. O ideal é ter um grupo e levar até o final do ano, mas existe uma janela de transferências.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.