Espanha e Portugal lutam para combater grandes incêndios florestais

A Espanha e o vizinho Portugal enfrentaram grandes incêndios florestais na terça-feira, enquanto três pessoas ficaram gravemente feridas depois que seu trem foi jogado em um incêndio espanhol menor.

Membros das Brigadas de Reforço de Incêndios Florestais (BRIF) trabalham para apagar um incêndio florestal no Parque Natural de Moncayo, perto da aldeia de Borja, na região norte de Aragão, 15 de agosto de 2022. – Bombeiros lutaram contra ventos fortes hoje tentando combater um enorme incêndio florestal que estava fora de controle no sudeste da Espanha, enquanto outro no norte estava sendo estabilizado. Ambos os incêndios começaram no final de 13 de agosto. Mais de 350 bombeiros combateram o incêndio florestal na região norte de Aragão, que até agora queimou uma área de 6.000 hectares e deslocou pelo menos 1.500 pessoas de suas casas. Ander Gillena/AFP

Cerca de 300 bombeiros passaram uma noite difícil lutando contra um enorme incêndio florestal no sudeste da Espanha que queimou quase 10.000 hectares em uma área notoriamente difícil de alcançar, disseram autoridades nesta terça-feira.

O fogo começou quando um raio atingiu a área de Vall de Ebo, em Valência, na noite de sábado e desde então se espalhou rapidamente, alimentado por ventos fortes, forçando a evacuação de mais de 1.500 pessoas, disseram autoridades regionais.

“Neste momento estamos falando de mais de 9.500 hectares (235.000 acres) que queimaram 65 quilômetros (40 milhas) de circunferência”, disse o presidente regional, Ximo Puig, na segunda-feira, descrevendo o incêndio como “absolutamente enorme”.

“É uma situação muito complicada… O incêndio está causando enormes dificuldades que são absolutamente impossíveis de administrar na velocidade que queremos.”

A ministra regional do Interior, Gabriela Bravo, disse à emissora de TV Antena 3 que cerca de 300 bombeiros combatem as chamas, apoiados por 24 aviões e helicópteros.

Bombeiros de outras partes da região também estavam lutando contra dois outros incêndios florestais ao norte da cidade de Valência, com centenas de bombeiros e pelo menos 10 aviões de combate a incêndio envolvidos na operação, disseram autoridades.

Três pessoas ficaram gravemente feridas depois que o trem em que estavam pegou fogo.

“Três pessoas sofreram queimaduras graves”, disseram autoridades regionais de saúde, acrescentando que uma pessoa teve que ser evacuada para o hospital de helicóptero. Mais de oito pessoas ficaram levemente feridas, acrescentaram.

Mais ao norte, bombeiros da região de Aragão combateram outro grande incêndio que eclodiu no sábado, queimando mais de 6.000 hectares de terra e forçando pelo menos 1.500 pessoas a deixar suas casas.

Enquanto isso, um grande incêndio florestal no centro de Portugal, que durou uma semana em um parque natural designado pela UNESCO e foi finalmente controlado na noite de sexta-feira, reacendeu-se na terça-feira, disse a autoridade de proteção civil.

Mais de 1.200 bombeiros foram convocados para combater o incêndio, que já consumiu cerca de 15.000 hectares e estava “queimando ferozmente”, com chamas provocadas por ventos fortes, disse a agência.

Pior que 2021

A Espanha sofreu 391 incêndios florestais até agora este ano, alimentados por temperaturas escaldantes e condições de seca, que destruíram um total de 271.020 hectares de terra, de acordo com os últimos números do Sistema Europeu de Informação sobre Incêndios Florestais (EFFIS).

Os incêndios deste ano na Espanha foram particularmente devastadores, destruindo mais do que o triplo da área consumida pelos incêndios florestais em todo o ano de 2021, que totalizou 84.827 hectares, mostram os números.

Portugal sofreu 195 incêndios florestais até agora este ano que devastaram 84.717 hectares de terra, mostram os números da EFFIS.

Os cientistas dizem que as mudanças climáticas causadas pelo homem estão tornando os eventos climáticos extremos, incluindo ondas de calor e secas, mais frequentes e mais intensos. Eles, por sua vez, aumentam o risco de incêndios que liberam gases de efeito estufa que aquecem o clima.

Incêndios eclodiram em toda a Europa, particularmente na França, Grécia e Portugal, tornando 2022 um ano recorde de incêndios florestais no continente.

O incêndio no Parque Natural da Serra da Estrela, em Portugal, começou nos arredores da cidade da Covilhã, no centro da cidade, em 6 de agosto, e as autoridades mobilizaram 373 carros de bombeiros e 12 aviões e helicópteros para apoiar as tentativas dos bombeiros de domá-lo.

Até agora, o incêndio feriu gravemente três pessoas e feriu outras 19 menos gravemente, enquanto 45 pessoas foram evacuadas como medida de precaução desde segunda-feira, enquanto Portugal enfrenta seus piores incêndios florestais desde 2017, que mataram cerca de 100 pessoas.

O chefe da agência de proteção civil de Portugal, André Fernandes, alertou para a probabilidade de propagação do fogo e disse que as tentativas de estabilizá-lo podem ser prejudicadas pelo vento.

Marco Soares

Entusiasta da web. Comunicador. Ninja de cerveja irritantemente humilde. Típico evangelista de mídia social. Aficionado de álcool

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *