Espanha e Portugal superam 1.700 mortes relacionadas ao calor, diz OMS | Notícias | DW

Uma onda de calor extrema que levou partes da Europa a temperaturas recordes causou mais de 1.700 mortes somente na Península Ibérica, disse o escritório da Organização Mundial da Saúde na Europa nesta sexta-feira.

“Este ano já vimos mais de 1.700 mortes desnecessárias da atual onda de calor na Espanha e em Portugal”, disse Hans Kluge, diretor regional da OMS para a Europa, em comunicado.

A OMS assume que o número “continuará a aumentar nos próximos dias”.

Trabalhadores ao ar livre estão em risco durante a onda de calor na Europa

Na Espanha, a onda de calor deve terminar na segunda-feira, mas as temperaturas permanecem acima de 40 graus Celsius (104 graus Fahrenheit) em grande parte do país.

Em Portugal, as temperaturas atingiram os 45 graus Celsius no dia 13 de julho na cidade de Leiria.

Espanha registra pior ano para incêndios florestais

A OMS disse que os incêndios florestais nos dois países e partes da Europa estão apenas piorando as coisas.

“As mudanças climáticas não são novidade. No entanto, suas consequências aumentam temporada após temporada, ano após ano, com consequências devastadoras”, disse Kluge.

Um voluntário usa um galho de árvore para tentar evitar que um incêndio florestal atinja casas na aldeia de Casal da Quinta, Portugal

Pessoas morreram como resultado de calor extremo durante ondas de calor prolongadas, muitas vezes com incêndios florestais simultâneos

A mídia espanhola informou que a Espanha teve seu pior ano de incêndios florestais registrados.

Nos primeiros sete meses deste ano, as chamas destruíram mais de 197 mil hectares de floresta.

Isso é mais do que todo o ano recorde anterior de 2012, quando os incêndios florestais na Espanha destruíram 189.376 hectares.

Bombeiros trabalham no local de um incêndio florestal nos arredores de Tabara, Zamora, durante a segunda onda de calor do ano na Espanha

Mais de uma dúzia de incêndios florestais continuaram a devastar partes da Espanha

Enquanto isso, bombeiros na Itália disseram que foram chamados para incêndios florestais e florestais com muito mais frequência neste verão do que no ano passado.

Entre 15 de junho e 21 de julho, foram contabilizadas mais de 32.900 operações em todo o país, cerca de 4.000 a mais do que no mesmo período do ano passado, informou o corpo de bombeiros.

lo/sri (AFP, dpa)

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.