Estoril e Porto empataram 1-1 divertido

Um jogo animado na costa de Lisboa esta tarde viu Estoril e Porto dividirem os pontos depois de um empate disputado no estádio António Coimbra da Mota.

O Estoril saiu em vantagem pouco antes do intervalo graças a um golo de Tiago Gouveia pouco antes do intervalo. Apesar da intensa pressão do Porto, os anfitriões resistiram até os descontos, quando Mehdi Taremi empatou de pênalti.

O técnico do Porto, Sérgio Conceição, abalou as coisas após uma derrota chocante por 4 a 0 em casa para o Club Brugge na Liga dos Campeões no meio da semana, fazendo quatro mudanças. André Franco, Rodrigo Conceição, Fábio Cardoso e Mehdi Taremi fizeram o line-up, os dois primeiros jogadores da estreia com a camisola do Porto.

Foi um início inteligente, sem guarda-redes em apuros, com o Estoril a criar a primeira oportunidade quando Rodrigo Martins apanhou a bola a 20 metros, abriu espaço para um remate e apitou com o seu remate não muito longe.

Jogos que chamam a atenção

O jogo ganha vida na marca de meia hora. Mais uma vez, foi a equipa da casa que causou perigo, Ndiaye roubou a bola na área do Porto e entrou para Erison Danilo, cujo remate foi bem defendido por Diogo Costa. O rebote caiu nas mãos de Tiago Gouveia que desferiu um poderoso chute de pé esquerdo que acertou a trave.

Gouveia estava no clima para isso, pois ele rapidamente pegou a bola pelo flanco esquerdo, mostrando uma habilidade e coragem incríveis para chutar entre dois zagueiros do Porto e forçar Costa a outra defesa atenta.

O Porto recuperou, empurrando o Estoril para a área com vários cruzamentos perigosos, e os visitantes colocaram a bola na rede duas vezes em dois minutos, mas ambos os “golos” foram anulados por fora-de-jogo. Primeiro foi Eustáquio que estava em posição ilegal para defender Pedro lvaro e um autogolo, e logo Zaidu fez uma bela dobradinha com Taremi e marcou, mas também foi perdido em posição de impedimento.

O Dragon está agora no topo, mas o Estoril assume a liderança. O capitão Joãozinho jogou uma bola longa no meio do campo, o primeiro toque de Gouveia pareceu sair ao lado, mas do ângulo mais apertado ele chutou rasteiro para Costa, cuja defesa com a mão estendida não impediu a bola de rolar para a rede. .

Segunda metade do cerco

Na época passada, o Porto veio de uma desvantagem de dois golos para vencer neste local e o esforço ofensivo esperado para reverter esse resultado apareceu nas cartas quando o brilhante meio-voleio de Taremi aos 50 minutos caiu por cima da barra.

Mas o Estoril quase fez o 2-0 depois de uma fantástica jogada e um cruzamento de Rodrigo Martins para Francisco Geraldes, mas Costa fez uma boa defesa de perto.

Substituiu o pé complicado de Galeno e soltou a bola para Taremi. O iraniano tirou o marcador da equação com uma rebatida inteligente, mas seu chute foi bloqueado por uma estocada desesperada de Joãozinho. Fábio Cardoso cabeceou ao lado.

Ndiaye vê vermelho

Galeno tentou a sorte depois que a pressão do Porto se intensificou e os azuis e brancos ganharam um impulso aos 76 minutos, quando a falta de Ndiaye sobre Veron valeu ao meio-campista seu segundo cartão amarelo e outro vermelho.

Da falta resultante, o passe de Eustáquio é cabeceado ao poste por Veron.

As chances do Porto foram ficando maiores e mais rápidas, Toni Martínez entrou na área e fez uma boa defesa de Dani Figueira. Uribe tentou a sorte em seguida, seu chute desviado passou por cima da barra e entrou no gol.

O tempo estava a esgotar-se para um Porto cada vez mais desesperado, mas quando o quadro eletrónico foi levantado para assinalar os 7 minutos de descontos, o exasperado treinador do Estoril, Nélson Veríssimo, levantou os braços em protesto.

E os primeiros cinco minutos da prorrogação foram interrompidos por uma checagem do VAR, o árbitro concluiu que a mão de Joãozinho na área merecia um pênalti para o Porto, depois que o jogo foi inicialmente marcado fora de jogo.

Taremi mostrou coragem de aço para cobrar o pênalti.

Última chance de suspiro

O Porto teve imediatamente uma chance para uma vitória dramática quando o chute de Galeno foi defendido por Figueira e Taremi não conseguiu envolver as pernas em torno da bola para empatar.

Os dez homens do Estoril conseguiram manter a bola longe da baliza nos últimos minutos, pois os pontos foram distribuídos após uma noite de entretenimento impressionante.

Por Tom Kundert no Estádio António Coimbra da Mota

Alvo:

[1-0] Tiago Gouveia, 41′

[1-1] Taremi (caneta), 94′

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.