Exportações e importações agrícolas aumentaram

As exportações de produtos agrícolas aumentaram 10 por cento nos primeiros nove meses do ano, em termos homólogos, atingindo 3.154 milhões de euros.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), os produtos mais exportados são as gorduras e óleos, o peixe e os frutos, representando um peso combinado de 55,6 por cento do total das exportações (-1,4 pontos percentuais face ao período homólogo de 2020).

Com os maiores aumentos, destacam-se os peixes, com um aumento de 104 milhões de euros (+23,0 por cento; -8,6 por cento face a 2019), e as gorduras e óleos, com um acréscimo de 74 milhões de euros (+12,9 por cento; +25, 6% em relação a 2019).

A fruta, que em 2020 tinha registado um aumento significativo (+ 82 milhões de euros; +15,9 por cento), registou a maior queda face aos primeiros nove meses de 2020 (- 59 milhões de euros; -9,8 por cento), representando, embora Assim, um aumento de 4,5 por cento em relação a 2019.

Espanha continua a ser um grande cliente dos produtos agrícolas portugueses e, tal como no ano anterior, registou um aumento das exportações nacionais neste grupo de produtos (+11,8 por cento face a 2020; +15,1 por cento face a 2019).

A França também registou um aumento de 16,7 por cento face ao mesmo período do ano anterior (+18,5 por cento face a 2019), ultrapassando o Brasil e tornando-se o segundo principal destino das exportações deste tipo de produto, principalmente devido às exportações de frutas.

Importar

No que diz respeito às importações, nesse período, os produtos agrícolas importados totalizaram 6.021 milhões de euros, um aumento de 8,2 por cento face ao período homólogo do ano anterior e de 2,4 por cento face a igual período de 2019.

Os produtos mais importados foram peixe, carne e cereais, representando 45,5 por cento do total (-0,8 pontos percentuais face ao período homólogo do ano anterior e -3,9 pontos percentuais em igual período de 2019).

Os cereais sozinhos superaram as importações no mesmo período de 2019 (+ 57 milhões de euros; + 9,1 por cento), embora tenha sido registrado um declínio em 2020 (-6,9 por cento).

À semelhança das exportações, Espanha continua a ser um grande fornecedor de produtos agrícolas, com um aumento de 10,6 por cento (+4,4 por cento face a 2019) nas importações dos seus vizinhos, mais do que compensando a queda observada no ano anterior (-5,7 por cento).

O Brasil é o segundo maior fornecedor, com um aumento de 16% em relação ao mesmo período de 2020 (+43,5% em relação a 2019), superando a Holanda.

Chico Braga

"Explorador. Organizador. Entusiasta de mídia social sem remorso. Fanático por TV amigável. Amante de café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *