Greve planeada obriga portuguesa TAP a cancelar 1.316 voos

LISBOA (Reuters) – A TAP de Portugal deve cancelar 1.316 voos devido a uma greve planejada para o final de janeiro que afetará cerca de 160 mil passageiros, informou a companhia aérea estatal nesta quinta-feira.

A TAP, que atualmente está sob um plano de resgate de 3,2 bilhões de euros aprovado pela UE, disse esperar que a greve custe à empresa cerca de 48 milhões de euros (US$ 52 milhões) em receita.

Previa-se ainda um prejuízo adicional de 20 milhões de euros devido ao possível impacto nas vendas, informou a TAP.

Exigindo salários mais altos e melhores condições de trabalho, o sindicato dos tripulantes de cabine SNPVAC anunciou no início deste mês que renunciaria de 25 a 31 de janeiro. Uma greve mais curta ocorreu de 8 a 9 de dezembro, o que resultou no cancelamento de 360 ​​voos.

“A decisão de proceder à greve… lança pela janela todo o trabalho de aproximação entre as partes, deixa milhares de clientes da TAP desiludidos nos seus planos e afecta gravemente os resultados da empresa”, refere a TAP em comunicado.

A TAP disse estar a criar um plano de contingência para minimizar o impacto nos clientes, e.g. B. adaptando as operações e facilitando a remarcação de voos e o recebimento de reembolsos.

O plano de reestruturação da UE vai reduzir a frota da TAP, cortar mais de 2.900 postos de trabalho e cortar os salários da maioria dos trabalhadores em até 25%. Mas os cortes ocorreram em um momento em que o aumento da inflação estava deixando os trabalhadores lutando com custos mais altos.

(US$ 1 = 0,9241 euros)

(Reportagem de Catarina Demony e Patricia Rua; Edição de David Goodman e Mark Potter)

Aleixo Garcia

"Empreendedor. Fã de cultura pop ao longo da vida. Analista. Praticante de café. Aficionado extremo da internet. Estudioso de TV freelance."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *