Gripe aviária detectada em Portugal

A DGAV anunciou que foram detetados casos de gripe aviária em Palmela, tendo sido postas em prática medidas de controlo, salientando que não existem provas de que esta gripe possa ser transmitida aos humanos através do consumo alimentar.

“A Agência Nacional de Investigação Agrária e Veterinária confirmou um óbito ocorrido em aves domésticas no concelho de Palmela. [district of Setúbal] que ocorre devido à infecção pelo vírus da gripe aviária, subtipo H5N1, altamente patogénico”, anunciou a Direcção-Geral da Alimentação e Medicina Veterinária (DGAV).

De acordo com a mesma nota, o plano de contingência para a gripe aviária foi ativado.

Entre as medidas previstas neste plano, estão as inspeções dos locais onde a doença foi detectada – “fazendas domésticas destinadas ao autoconsumo” – bem como as fazendas em zonas protegidas no entorno do surto.

Até o momento, nenhuma empresa industrial de avicultura foi identificada nesta área.

A DGAV adverte que não há evidências de que a gripe aviária seja transmitida aos seres humanos através do consumo de alimentos, como aves ou ovos.

“A origem da doença é a migração regular de aves selvagens na Europa, originárias da Ásia e leste da Rússia, o que permite a circulação e transmissão do vírus a longa distância”, acrescentaram.

O director-geral referiu ainda que por vezes várias estirpes do vírus podem infectar outros animais, “nomeadamente mamíferos e humanos, mas para isso é necessário um contacto muito próximo entre aves infectadas e aves infectadas. humanos, ou entre pássaros e outros animais.

Face à “situação epidemiológica atual”, a DGCA defende que é importante cumprir as normas de biossegurança, bem como as boas práticas de produção avícola, evitando o contacto entre aves domésticas e aves selvagens.

Os procedimentos de higiene das instalações, equipamentos e materiais devem ser respeitados e o monitoramento “diário e atento” das aves deve ser mantido, incluindo consumo de água, alimentação e níveis de produção.

“Deve ser lembrado que os operadores que mantêm aves ou aves em cativeiro são os principais responsáveis ​​pelo estado sanitário dos animais que detêm e, se houver suspeita de doença, isso deve ser imediatamente comunicado à DGCA. A detecção precoce de surtos de vírus da gripe aviária de alta patogenicidade (GAAP) é muito importante para a implementação rápida e eficaz de medidas de controle de doenças destinadas a prevenir sua disseminação”, concluíram.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *