Grupo de líderes da OTAN promete apoio à Ucrânia | Governo. & Política

Por MIKE CORDER – Associated Press

HAIA, Holanda (AP) – Líderes de sete países da Otan em toda a Europa prometeram nesta terça-feira seu apoio às propostas de adesão da Suécia e da Finlândia e forneceram mais armas pesadas para ajudar a Ucrânia a combater a Rússia.

O apoio veio após uma reunião informal na residência oficial do primeiro-ministro holandês Mark Rutte em Haia, co-organizada por seu colega dinamarquês Mette Frederiksen. Os outros Chefes de Estado ou de Governo presentes foram o Presidente romeno e os Primeiros-Ministros da Bélgica, Polónia, Portugal e Letónia.

“Minha mensagem sobre a adesão da Suécia e da Finlândia é que eu a congratulo muito”, disse o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, que também estava presente. “Esta é uma decisão histórica. Isso os fortalecerá, nos fortalecerá”.

Mas ele disse que a aliança também deve atender às preocupações do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, que vetou a adesão dos dois países até que eles mudem sua política de apoio a militantes curdos, que Ancara rotulou de terroristas.

As pessoas também lêem…

“Não há outro aliado da Otan que tenha sofrido mais ataques terroristas do que a Turquia”, disse Stoltenberg.

Stoltenberg disse na segunda-feira que estava satisfeito com o fato de o governo sueco ter “reafirmado sua prontidão para abordar as preocupações da Turquia ao assumir os compromissos da futura adesão à Otan”.

Enquanto isso, o primeiro-ministro polonês Mateusz Morawiecki criticou o apoio anterior dado à Ucrânia, que repetidamente pediu armas mais pesadas.

“Não fizemos o suficiente para defender a Ucrânia, para ajudar o povo ucraniano a defender sua liberdade e soberania. E é por isso que eu exorto você, eu pedi que você faça muito mais para fornecer armas e artilharia para a Ucrânia”, disse Morawiecki.

“Onde está nossa credibilidade se a Ucrânia falhar? Podemos imaginar a Ucrânia falhando e voltando à vida cotidiana normal? Espero que não”, acrescentou.

A reunião aconteceu antes de um 29-30 Junho Cimeira da OTAN em Madrid que querem definir o rumo da aliança nos próximos anos.

Stoltenberg disse que a aliança reforçou suas defesas após a invasão da Ucrânia pela Rússia e “reforçou nossa capacidade de proteger e defender cada centímetro do território aliado da Otan”.

Ele disse que em Madri “daremos os próximos passos e concordaremos com um fortalecimento significativo de nossa postura. Hoje à noite conversamos sobre a necessidade de uma presença avançada mais robusta e pronta para o combate, prontidão operacional ainda maior e mais equipamentos e suprimentos pré-posicionados”.

Ele também disse que “a Ucrânia deveria ter mais armas pesadas, e os aliados e parceiros da OTAN fornecem as armas pesadas há muito tempo. Mas eles também se reforçam.”

A reunião ocorreu após uma reunião de nove países da Otan no flanco leste da aliança na sexta-feira em Bucareste, na qual alguns líderes pediram à Otan que intensifique a proteção diante da prolongada guerra da Rússia contra a Ucrânia.

“Devemos garantir que a Otan seja capaz e esteja pronta para responder de maneira eficaz e calibrada às ameaças que enfrenta”, disse o presidente romeno, Klaus Iohannis, a repórteres após a reunião de sexta-feira. “A aliança deve ser capaz de defender cada centímetro de seu território.”

Três membros da OTAN – Bulgária, Romênia e Turquia – fazem fronteira com o Mar Negro, que se tornou um importante campo de batalha na guerra na Ucrânia.

Os redatores da Associated Press Jari Tanner em Helsinque e Monika Scislowska em Varsóvia, Polônia, contribuíram para este relatório.

Acompanhe a cobertura da AP sobre a Guerra da Ucrânia em https://apnews.com/hub/russia-ukraine

Direitos autorais 2022 The Associated Press. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, transcrito ou redistribuído sem permissão.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.