Microultrassom de próstata: Melhorando o diagnóstico de câncer de próstata

Existem duas palavras que são universalmente associadas ao sucesso em vencer qualquer tipo de câncer: precisão e precocidade.

EUOu seja, quanto mais avançarmos na tecnologia diagnóstica (especialmente em termos de precisão) e quanto mais cedo agirmos, melhores serão os resultados em termos de sobrevivência e qualidade de vida.

Um desses exemplos, que está disponível no HPA em Gambels Urology Service há 4 meses, é o microultrassom de próstata de alta resolução.

Os sistemas de ultrassom convencionais atuais operam em frequências de 8 a 12 MHz. Recentemente, foram desenvolvidos sistemas de ultrassom inovadores que melhoram a resolução da imagem em cerca de 300% em frequências mais altas (21 a 29 MHz). Assim como no micro-ultrassom da próstata, esse aumento na resolução permite visualização e caracterização mais detalhada e precisa das imagens da próstata, permitindo identificar regiões suspeitas de malignidade, aumentando a probabilidade de detecção de tumores.

Vários estudos comprovaram que a visualização intraprostática mais detalhada por um sistema de ultrassom de alta resolução melhora a taxa de detecção de lesões tumorais em comparação com o ultrassom tradicional.

Além disso, esses sistemas também contribuíram para a estratificação do risco de câncer de próstata. Para doenças de alto risco, a detecção precoce e precisa resulta na detecção de doenças menores e, consequentemente, na administração de terapias desnecessárias nesses casos.

Estamos muito satisfeitos com os resultados alcançados, revela o Prof. Dr. Tiago S. Rodrigues, urologista e grande divulgador desta técnica, que é actualmente o único equipamento disponível em Portugal. Dos 51 procedimentos que já realizamos, constatamos que 65% foram casos confirmados de câncer de próstata. Uma figura que mostra a importância deste teste para o diagnóstico precoce com tudo o que ele significa para a sobrevivência e qualidade de vida dos pacientes.

O câncer de próstata é a neoplasia maligna mais comumente diagnosticada em homens no mundo ocidental e a segunda principal causa de morte por câncer em homens. Esses indicadores destacam a importância do diagnóstico precoce e do estadiamento preciso para fornecer uma terapia adequada, oportuna e personalizada.

O diagnóstico do câncer de próstata atualmente é feito por meio de biópsia de próstata guiada por ultrassom (padrão ouro), geralmente após alteração do resultado do PSA, toque retal ou exames de imagem se houver suspeita de câncer (RM ou ultrassom transretal). No entanto, essa sequência diagnóstica às vezes apresenta limitações significativas.

Esses estudos de imagem permitem biópsias guiadas, ao contrário das clássicas biópsias randomizadas, seja por ultrassonografia de alta resolução isoladamente ou por técnicas de fusão com as imagens previamente obtidas em uma ressonância magnética. Além disso, no HPA, todas as biópsias são realizadas sob sedação para garantir um procedimento indolor e confortável, bem como por via transperineal para reduzir drasticamente o risco de infecção.

Prof. Dr. Tiago S. Rodrigues, Urologista no HPA – Alvor e HPA – Gambelas

Telefone: +351 282 420 400

www.grupohpa.com

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.