Mistério de Maria Severa

Sua história ainda não foi escrita; no entanto, vários deram seus primeiros passos no gênero musical, entre eles Maria Severa.

Maria Severa Onofriana nasceu a 26 de julho de 1820, na Madragoa, Lisboa, então residia na zona da Mouraria. Pouco se sabe sobre as mulheres que encantaram Portugal no século XIX, numa época de tensão política, quando a monarquia absoluta portuguesa acabou, sendo substituída por uma monarquia constitucional.

As memórias que se conhecem resultam de relatos deixados por artistas da época, que, ao conhecerem Maria Severa, sentiram a necessidade de as perpetuar. Segundo o poeta Bulhão Pato, Severa era um “fadista muito atraente”, referindo mesmo que na Mouraria nunca haveria outro fadista como ele. Segundo o poeta, o jovem fadista era ao mesmo tempo generoso e ultrajante e não tinha problemas em cuidar da pessoa de quem gostava, pois segundos depois poderia enfrentar uma luta violenta, em que se defendia a si e à pessoa de quem gostava. Ela foi fisicamente descrita por todos como “magra” e como uma mulher alta com um olhar penetrante.

Origem desconhecida

Pouco se sabe sobre suas origens também. Ela sempre foi retratada como filha de pai cigano, mas com o passar do tempo novas pistas surgiram. Públicojornais publicaram recentemente um artigo relatando que Maria Severa pode ter origens africanas, com seus ancestrais trazidos para Portugal no século XVII.

No entanto, essa voz sempre foi a característica mais mitológica dessa mulher. Sua voz quente, cheia de mágoa e dor, combinada com a sensualidade de Severa, não permitia que nenhum homem se aproximasse dela. Sua voz forte e movimentos bruscos transmitiam que Severa só queria ser ouvida e não tocada. Pouco se sabe onde cantava a jovem fadista, especula-se que esteve no circuito da prostituição, no Bairro Alto e na Mouraria, mas Maria Severa também actuou para vários membros da realeza.

Nos jornais da época, surgiram notícias sobre a aparição de Maria Severa no Palácio do Conde, bem como a relação amorosa da cantora com o Príncipe Vimioso, que acabou por conhecer enquanto cantava na taberna Rosaria dos Óculos, na Rua do Capelão. Um caso de amor com D. Francisco de Paula Portugal e Castro trouxe mais visibilidade ao cantor que fez ecoar a sua voz pelas ruas de Lisboa ao som da sua guitarra.

morte precoce

Maria Severa Onofriana morreu aos 26 anos, uma morte precoce, sem deixar registros de sua voz. Alguns dizem que Severa, como é chamada, foi a fundadora do Fado como é conhecido hoje. A sua história foi imortalizada por Júlio Dantas que, em 1931, teve a sua obra adaptada para o cinema, no primeiro filme sonoro português. Em 1990, a obra de Júlio Dantas foi adaptada para o teatro, com Lena Coelho, ex-cantora do Doce, interpretando Severa. A famosa fadista Amália Rodrigues, em 1955, representou Severa num musical, peça encenada pela companhia Vasco Morgado.

Na Mouraria, na Rua do Capelão, encontra-se o Largo da Severa, onde viveu a fadista, existe uma casa antiga assinalada “Casa da Severa” e, no chão, a forma de uma guitarra está representada na calçada.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *