“Não acredito que Portugal possa voltar a fazer abortos. Já não é um problema”

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, tinha dito que a ilegalização do aborto “já não está presente” como um “problema fraturado” na sociedade portuguesa, no dia em que o Supremo Tribunal dos EUA anunciou a revogação ou não da histórica decisão . 1973, que permitiu o aborto legal.

“Não acredito que Portugal possa voltar a fazer abortos. A linha religiosa radical nesta questão precisa ganhar peso brutal. E hoje não há voz a favor da revogação/reversão da lei.”

O presidente respondeu ao Diário de Notícias, que questionou o chefe de Estado sobre a decisão que o Supremo Tribunal dos Estados Unidos deve anunciar esta segunda-feira sobre a inconstitucionalidade da lei do aborto de 1973.

Marcelo Rebelo de Sousa, ao longo da sua carreira política e como comentador de televisão, foi uma das vozes contra a legalização da interrupção voluntária da gravidez em Portugal. Em 1988, quando o assunto virou referendo, Marcelo, então presidente do PSD, fez um acordo com o primeiro-ministro António Guterres (PS) para impedir a lei aprovada naquele ano no parlamento que permitia o aborto. até 12 semanas por decisão da mulher.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.