O Ar Condicionado Causa Obesidade?

“O ar condicionado engorda porque quando está frio nosso apetite desperta”, disse Javier Sánchez Perona, pesquisador do Fat Institute do Conselho Superior de Pesquisa Científica da Espanha, que, há 20 anos, quando apanhado pelo calor em Sevilha , fez Ele estudar a conexão entre temperatura e apetite.

De acordo com uma reportagem da CNN Portugal, o especialista vem do País Basco, onde as temperaturas são muito mais amenas, por isso notou a diferença quando chegou à capital andaluza.

Como ele, a maioria dos sevilhanos não tinha ar condicionado – algo difícil de imaginar em uma das cidades mais quentes da Europa. Ao mesmo tempo, Javier Perona percebeu que a cidade parecia ter menos pessoas obesas na época, o que o levou a iniciar sua pesquisa.

Se há uma óbvia relação de causa e efeito no fato de Sevilha ser uma cidade quente e haver poucas pessoas obesas, a evolução da população sugere que essa relação existe. O ar condicionado chegou à cidade, enquanto a Andaluzia se tornou a região com a maior taxa de obesidade da Espanha.

Javier Perona não afirma que a manipulação da temperatura do ar seja a única causa da obesidade, pois não encontrou nenhum estudo que apoie especificamente esse link. No entanto, diz o investigador, é mais provável que tal estudo não exista “porque provavelmente ninguém o fez antes”.

“A conexão entre temperatura e apetite foi cientificamente comprovada. Quanto maior a temperatura, menor o apetite. Portanto, parece óbvio que, se vivermos e comermos com ar condicionado, comeremos mais e engordaremos”, disse o graduado em ciência e tecnologia de alimentos em comunicado ao El País.

“Estilo de vida termicamente sedentário”

É o que alguns especialistas apelidaram de “vida termicamente sedentária”, uma adoção de comportamentos que nos fazem mover menos porque não queremos sair de um ambiente com temperatura controlada.

Essa conexão entre temperatura e apetite foi comprovada por vários estudos. Em 1963, um estudo realizado em ratos concluiu que os animais comiam muito menos quando expostos a temperaturas mais altas. A 35 graus comiam 10% do que comiam a 24 graus e a 40 graus paravam de comer.

Mais revelador é um estudo publicado pela Universidade de Birmingham, nos Estados Unidos, que mostrou que cada vez que a temperatura subia um grau, as pessoas consumiam 85,9 menos calorias dos alimentos que eram alimentados, neste caso, pizza ingerida.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.