Ondas de calor na Europa ‘sem precedentes e assustadoras’, com mais de 1.700 mortos na Espanha e Portugal: OMS

Enquanto a região europeia enfrenta as consequências de uma onda de calor prolongada que causou uma série de incêndios florestais mortais e temperaturas extremas recordes, o chefe regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) disse na sexta-feira que é necessária uma ação urgente em toda a Europa para combater com sucesso mudança climática, o grande problema que ameaça tanto a saúde humana quanto a vida das espécies.

De acordo com uma declaração do Diretor Regional da OMS para a Europa, Dr. Hans Henri P. Kluge, durante ondas de calor prolongadas, que muitas vezes incluíam incêndios florestais, centenas de milhares de pessoas morreram como resultado do calor excessivo nas últimas décadas. Acrescentou ainda que só Espanha e Portugal já registaram mais de 1.700 “mortes desnecessárias” este ano devido à atual vaga de calor.

Funcionário da OMS descreveu ondas de calor como ‘sem precedentes, assustadoras, apocalípticas’

Descrevendo a onda de calor em curso como “sem precedentes, assustadora, apocalíptica”, Kluge disse que a mudança climática não é novidade, mas seus efeitos pioraram ano após ano, estação após estação, com resultados catastróficos.

De acordo com o comunicado, o diretor regional disse que os incêndios florestais em Londres nesta semana danificaram 41 casas. Os incêndios florestais, notórios por seus efeitos devastadores no sul da Europa, estão ocorrendo cada vez mais no norte da Escandinávia. Ele alegou que apenas metade daquele verão abafado havia passado.

Kluge acrescentou que a exposição ao calor extremo geralmente agrava condições médicas pré-existentes. Mortalidade e morbidade prematuras são causadas por insolação e outras formas graves de hipertermia, que é uma temperatura corporal anormalmente alta, observou ele. Segundo ele, bebês, crianças e idosos correm maior risco, assim como adultos em ambas as extremidades da vida.

A orientação do Escritório Regional da OMS para a Europa para combater as ondas de calor é crucial

Além disso, o alto funcionário assegurou que as orientações do Escritório Regional da OMS para a Europa ajudam as autoridades nacionais e locais no planejamento crítico para grandes eventos de calor. Planos de ação abrangentes para a saúde do calor, quando implementados e funcionando, provaram ser eficazes para salvar vidas e construir a comunidade e a resiliência individual para lidar com o calor elevado, disse ele.

Para implementar o Acordo Climático Global de Paris, enfatizou Kluge, as nações devem mostrar compromisso político e liderança genuína, com a cooperação substituindo conflitos e chavões vazios.

O programa de saúde COP26 foi lançado no ano passado no período que antecedeu a conferência da ONU sobre mudanças climáticas e apoia o status do Acordo de Paris como um acordo de saúde, de acordo com o comunicado. Ele pede aos sistemas de saúde que assumam sua parte justa do fardo para construir sua resiliência e resiliência às mudanças climáticas, acrescentou.

As recomendações da OMS e os planos de ação contra o calor oferecem conselhos úteis ao público em geral e aos profissionais de saúde sobre como lidar com as ondas de calor, enfatizou Kluge. Eles também fornecem suporte para o atendimento de pacientes e pessoas em hospitais e outras instalações de atendimento, como lares de idosos, disse o comunicado.

(Imagem: AP/Twitter@hans_kluge)

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.