Orientações importantes para os adolescentes – The Portugal News

Acompanhar nosso ciclo menstrual parece uma tarefa fácil, uma fonte de tremendo autoconhecimento e uma ferramenta importante quando o assunto é saúde, mas a realidade é que existem muitas mulheres que não sabem o suficiente sobre seu ciclo menstrual e como viver suas vidas cotidianas, sem pensar nisso.

Pensando nisso, as autoras Tânia Costa e Inês Mestre publicaram recentemente um livro chamado Agenda Teen, que significa diário de adolescente em inglês. Neste diário eles explicam tudo o que as jovens precisam saber quando têm seu primeiro período menstrual, mas também algumas ferramentas para lidar com as emoções.

“Temos uma parte da consciência. Nós os ensinamos a criar seu horóscopo e damos algumas dicas. Temos algumas meditações, poses de ioga, exercícios de respiração, testes de personalidade, etc.” que são extremamente interessantes e certamente ajudarão as jovens a passar por uma adolescência mais tranquila (seus pais nem percebem) e transformá-las em mulheres muito mais esclarecidas.

No entanto, esta não é apenas uma ferramenta para usar durante a adolescência. Embora o principal público-alvo tenha entre 11 e 17 anos, também há mulheres na faixa dos 50 anos que compram a agenda. “Foi só aos 40 anos que percebi que não sabia nada sobre o meu ciclo”, diz Inês, uma das autoras.


falta de conhecimento

“Nas escolas, isso é mostrado de um ponto de vista muito científico, mas nenhuma conexão é feita com as meninas tendo essa nova experiência. Trabalho como professora de educação em fertilidade, inicialmente mais para mães, mas se começarmos desde cedo com esse autoconhecimento sobre nós mesmas, é ainda melhor”, acrescentou Inês Mestre.

“O diário é uma ferramenta para eles aprenderem a lidar com algo que está acontecendo com eles e que estará presente em suas vidas por 40 anos. Quanto mais cedo começarmos a fazer isso, melhor. Há muitos adultos que não têm informações sobre essas questões”, acrescentaram.

Apesar das melhorias entre gerações, a abordagem na escola ainda é muito precária e os jovens permanecem pouco informados. “Somos únicos e não podemos aplicar o mesmo método a todos. Não somos máquinas”, disse Tânia.

Embora muitos pais tenham a mente muito mais aberta do que costumavam ser, eles não têm tempo e não podem contar às filhas o que elas nem sabem. A boa notícia é que as gerações mais jovens estão menos confiantes. Como tal, eles não têm nenhum problema em dizer às namoradas que estão menstruando.

Nesse sentido, “as plataformas de mídia social fizeram uma enorme diferença. Acho que há um interesse maior em falar sobre o tema e que tem a capacidade de atingir muita gente e já existe uma abertura para falar sobre o tema. Mas ainda há muito por fazer em Portugal, ainda se assume que é apenas uma questão feminina que não tem impacto no resto das nossas vidas – se tem impacto na nossa vida profissional, nas nossas relações, etc., “, disse Inês.

Fertilidade Consciente

A Fertilidade Consciente é um conjunto de práticas que permitem às mulheres saber quando estamos férteis e então tentar conceber ou evitar a gravidez. “Ao acompanhar nosso ciclo, podemos ver que temos quatro fases em cada ciclo e fica mais fácil à medida que tomamos notas sobre esse ciclo. Somos pessoas únicas com necessidades diferentes durante esses ciclos porque há uma mudança nos hormônios ao longo do ciclo”, disse ela.

No entanto, isso não acontece durante o uso da pílula. “Há mulheres que não querem tomar a pílula, mas não sabem o que fazer porque os ginecologistas não lhes dão outra opção”, acrescenta.

Além disso, as pessoas ainda pensam que os ciclos têm “28 dias e a gente ovula no dia 14, mas há mulheres com ciclos de 32 dias e no dia 20 ovulam”, disse-me Inês.

Essas mudanças nos hormônios durante os ciclos causam reações físicas no corpo. “Claro que em alguns estágios teremos mais sono, em outros menos sono, em alguns casos mais energia, em outros menos energia. Teremos maior capacidade de exercício físico, teremos maior clareza mental em algumas etapas do que em outras, nos sentiremos muito mais felizes falando e socializando em algumas etapas do que em outras, e essa é uma ótima ferramenta para o autoconhecimento”, apontou. Fora.

Para mais informações envie um email agendadolescentes@gmail.com

Marco Soares

Entusiasta da web. Comunicador. Ninja de cerveja irritantemente humilde. Típico evangelista de mídia social. Aficionado de álcool

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *