Partygate Portugal: Bloco de esquerda é multado por tumulto na sede de Lisboa

Festas exuberantes não parecem ser exclusividade do Partido Conservador Britânico. O bloco de esquerda de Portugal (Bloco de Esquerda) é notícia esta semana por aparentemente realizar repetidamente festas barulhentas com “muito barulho” na Rua do São Bento, perto do Parlamento.

Defensores da classe trabalhadora durante o dia, o partido é descrito como transformando sua sede em uma espécie de discoteca na maioria dos fins de semana, “tirando sarro e gritando com os moradores locais” quando eles reclamam.

É esse o cerne de uma reportagem publicada hoje no tablóide Correio da Manhã, que diz que a festa do partido já o levou a enfrentar uma multa “que pode chegar aos 18 mil euros”.

Esta é de fato a multa máxima por violar o Código de Ruído (a lei que restringe barulhos altos e festas entre 23h e 7h).

De acordo com o jornal, uma festa recente (que começou às 21h00 de sábado passado e se prolongou até à madrugada de domingo) exigiu duas visitas da polícia da PSP depois de vizinhos terem reclamado que a música alta lhes impossibilitava o sono.

Segundo relatos, na primeira visita (por volta da meia-noite) os foliões foram avisados ​​e a música foi baixada.

Mas logo após a saída da polícia, o volume aumentou novamente – e os vizinhos exaustos voltaram aos seus telefones para registrar reclamações.

Por volta das 5h30, a festa acabou; “Os participantes começaram a deixar a área”, e neste momento uma nova patrulha “fez uma denúncia de violação da Lei do Ruído”.

Porque as instalações “pertencem ao Bloco de Esquerda”, o partido foi identificado como autor do crime, refere CM.

Outras pessoas também foram identificadas – mas como testemunhas, não como perpetradores.

O próximo passo desta pequena saga será a aplicação de uma multa pela Câmara Municipal de Lisboa. Uma multa – neste caso para uma instituição colectiva – deverá situar-se entre 2.000 e 18.000 euros, refere o jornal.

Quando solicitado a comentar, o partido aparentemente recusou.

CM, enquanto isso, entrevistou moradores locais para saber que “quase todo fim de semana até o amanhecer, música e barulho podem ser ouvidos como se o (prédio) fosse uma boate”, disse um deles a repórteres.

Esta não é a primeira vez que um partido político é chamado por “fazer uma festa”, mas parece ser a primeira vez que um partido faz manchetes por ser tão “barulhento” e indisciplinado.

“Se reclamamos, eles zombam de nós”, disse outro local ao CM. “É música alta até as 6 da manhã, janelas abertas e muita gente gritando”, disse a mulher, que teria sido uma das que apresentaram uma queixa oficial no fim de semana passado.

natasha.donn@portugalresident.com

Alberta Gonçalves

"Leitor. Praticante de álcool. Defensor do Twitter premiado. Pioneiro certificado do bacon. Aspirante a aficionado da TV. Ninja zumbi."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.