Pesticidas perigosos encontrados em frutas

As maçãs e peras cultivadas em Portugal estão entre as frutas com maiores teores de pesticidas perigosos, de acordo com uma análise de frutas frescas europeias para 2019 realizada pela rede de organizações não governamentais PAN Europe.

Fundada em 1982, a Pesticide Action Network (PAN) é uma rede de mais de 600 organizações não governamentais, instituições e indivíduos de mais de 60 países que visa minimizar os efeitos negativos dos pesticidas perigosos e substituí-los por alternativas ecológicas.

De acordo com o documento, as maçãs e peras portuguesas ocupam o segundo lugar em 2019 com a maior proporção de fruta contaminada. A contaminação com pesticidas perigosos foi encontrada em 85 por cento das peras portuguesas testadas e 58 por cento de todas as maçãs testadas.

Duplicando a contaminação

De acordo com o estudo, a nível da UE, as taxas de contaminação de maçãs e peras mais do que duplicaram entre 2011 e 2019.

Os autores da análise apontam que “houve um aumento dramático de frutas vendidas ao público contendo resíduos dos pesticidas mais tóxicos que deveriam ter sido proibidos na Europa por razões de saúde”.

De acordo com um comunicado da organização, o estudo contradiz as alegações da Comissão Europeia de que os agricultores estão usando menos pesticidas, que têm sido associados ao câncer e outras doenças graves.

Analisando os dados de 2011 a 2019, o estudo mostra que as frutas mais contaminadas foram amoras (51% das amostras), seguidas de pêssegos (45%), morangos (38%), cerejas e damascos (35%). No mesmo período, os países produtores de frutas mais contaminadas foram, em ordem decrescente, Bélgica, Irlanda, França, Itália e Alemanha.

“Terrível localização”

Salomé Roynel, da PAN Europe, disse que os consumidores estão em uma “posição terrível” porque estão sendo aconselhados a comer frutas frescas “muitas das quais estão contaminadas com os resíduos de pesticidas mais tóxicos ligados a sérios efeitos à saúde”.

“Percebemos que os governos não têm intenção de banir esses agrotóxicos, independentemente do que a lei ditar. Eles estão com muito medo do lobby agrícola que depende de produtos químicos fortes e um modelo agrícola desatualizado”, acrescentou.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.