Poderia haver um novo aeroporto em Santarém?

Segundo o Expresso, o grupo estuda esta sexta-feira a viabilidade do projeto para três anos, a ser implementado em fases, começando por uma infraestrutura regional, com apenas uma pista e um investimento estimado em menos de mil milhões de euros, sem qualquer injeção de dinheiro publico.

Embora o setor privado espere que o projeto seja financiado por taxas portuárias já arrecadadas, informa-se que o envolvimento do Estado será inevitável quando se tratar de licenciar a infraestrutura e conceder o status do porto, por exemplo, como projeto de interesse nacional.

De acordo com um documento a que o Expresso teve acesso, o grupo inclui investidores nacionais e estrangeiros, bem como a participação de um grande grupo português, que não é identificado.

“Existe interesse de operadores e investidores Tier One em todo o mundo que acompanham e/ou envolvidos na preparação e desenvolvimento dos estudos há mais de dois anos e estão interessados ​​em se juntar ao grupo para o investimento e gestão do novo aeroporto”, explica o documento.

A construção do novo aeroporto não exigiria a aprovação da ANA, uma vez que o local proposto está fora do território da ANA.

O grupo de investidores argumenta que o projeto não apresenta riscos ambientais e nenhuma ameaça à saúde da população de Santarém.

Em sua primeira fase de pista única, o coletivo estima que o novo aeroporto terá capacidade para cerca de 10 milhões de passageiros. Posteriormente, está prevista a expansão para três pistas com capacidade para 100 milhões de passageiros, tornando-se um novo Aeroporto Internacional de Lisboa.

O Expresso informa que o governo já tem conhecimento da proposta mas ainda não respondeu publicamente.

Marco Soares

Entusiasta da web. Comunicador. Ninja de cerveja irritantemente humilde. Típico evangelista de mídia social. Aficionado de álcool

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *