Porto e Braga na “Lista”

Porto e Braga estão entre as 95 cidades mundiais que lideram ações ambientais e de transparência até 2021.

As duas cidades do norte são as únicas portuguesas a figurar na “Lista A” criada pelo CDP, uma organização internacional financiada pela União Europeia e que avalia as ações ambientais de empresas, cidades, estados e regiões.

No ano passado, foram também distinguidas as duas cidades, bem como a gueda, em Aveiro, que este ano não foi mencionada, enquanto em 2019 as cidades portuguesas “classe A” foram Lisboa, Sintra e Guimarães.

De acordo com um comunicado enviado pelo CDP, as 95 cidades selecionadas “receberam pontuações máximas por sua transparência e ações ambiciosas para mitigar ou se adaptar às mudanças climáticas”.

“Para garantir uma pontuação A, uma cidade deve divulgar publicamente seus dados ambientais e ter um inventário de emissões em toda a cidade, ter metas ambiciosas de redução de emissões e metas futuras para energia renovável e ter publicado um plano de ação climática”, explica a organização.

Para se classificar bem, as cidades também precisam ter uma “avaliação de risco e vulnerabilidade climática e um plano de adaptação ao clima para mostrar como elas reagirão às condições climáticas”.

A Lista A inclui 26 outras cidades europeias, incluindo Atenas, Berlim, Copenhaga, Paris, Estocolmo e Zurique.

O CDP destacou a ausência da China continental, Índia e Rússia da lista, os “três maiores emissores, com exceção dos Estados Unidos”.

Segundo a organização, a população total dessas 95 cidades é de 108 milhões, “uma fração (2,6%) dos 4,2 bilhões de pessoas que vivem nas cidades”, o que “destaca a necessidade urgente de mais cidades para melhorar suas ambições climáticas”. aqueles que nela vivem e trabalham”.

Este ano, foram avaliadas 956 cidades, “um aumento substancial em relação às 591 cidades avaliadas em 2020”, resultado de esforços para aumentar a transparência.

“Pela primeira vez, mais de mil cidades estão divulgando seus dados de impacto ambiental” por meio do sistema CDP.

Aqueles na “Lista A” tomaram “duas vezes mais medidas climáticas do que outras cidades e também identificaram mais de duas vezes mais oportunidades relacionadas ao clima do que o desenvolvimento de transporte sustentável ou o setor de tecnologia limpa”.

A lista está agora no seu quarto ano de existência e, nesta edição, os critérios foram reforçados, “para refletir o nível de ambição necessário para atingir a meta” de limitar o aquecimento global a 1,5º Celsius.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.