Portugal condena o reconhecimento ‘ilegítimo e ilegal’ da Rússia de territórios separatistas – EURACTIV.com

Portugal está solidário com a Ucrânia, disse o ministro das Relações Exteriores, Augusto Santos Silva, nesta terça-feira, chamando o reconhecimento do presidente russo, Vladimir Putin, da independência das regiões separatistas pró-Rússia de “ilegítimo e ilegal”.

Em nome de Portugal, Santos Silva manifestou a sua Solidariedade com a Ucrânia e condenação de Moscou.

Numa breve declaração em inglês no início de uma reunião organizada pela Presidência francesa do Conselho da UE sobre as relações da UE com os países do Indo-Pacífico em Paris, Santos Silva classifica esta discussão como “muito oportuna” e espera “que venha a ser torna-se fecundo”.

Aproveitando que alguns ministros das Relações Exteriores da UE estão em Paris, o diplomata-chefe da UE, Josep Borrell, decidiu convocar uma reunião informal na terça-feira para discutir a imposição de sanções à Rússia, a ser realizada após a reunião ministerial com os países do Indo-Pacífico.

Está prevista uma reunião dos embaixadores dos Estados-Membros junto da UE para a adoção final do pacote de sanções.

Fontes da UE disseram à Lusa que as sanções em cima da mesa afetam 27 empresas e membros do Parlamento russo (Duma) e congelamentos de ativos de bancos privados russos, bem como restrições económicas a regiões separatistas.

As mesmas fontes afirmaram que “a Comissão Europeia iria propor restrições às relações económicas da UE com as duas regiões separatistas” Donetsk e Lugansk e o “congelamento de activos de dois bancos privados russos”.

Essas sanções – que ainda precisam ser aprovadas pelos Estados membros – ocorrem depois que o presidente Putin assinou um decreto na noite de segunda-feira reconhecendo as regiões separatistas de Lugansk e Donetsk no Donbass (leste) e ordenando que as forças russas invadam esses territórios ucranianos. missão de paz.

Em 2014, depois de derrubar o governo pró-Rússia em Kiev, a Rússia anexou a península da Crimeia, na Ucrânia. Preparou um referendo sobre a devolução do território à Federação Russa. Desde então, Kiev está em conflito com separatistas pró-Rússia no leste do país.

De acordo com as Nações Unidas, a guerra no leste da Ucrânia entre forças de Kiev e separatistas pró-Rússia já custou mais de 14.000 vidas até agora.

(Ana Matos Neves, Lusa.pt)

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *