Portugal é o mais recente país da UE a anunciar um pacote de ajuda, já que a inflação atinge um máximo de 30 anos

Portugal é o mais recente estado-membro da UE a anunciar medidas de apoio às famílias, já que a inflação atinge um máximo de 30 anos. O primeiro-ministro António Costa não hesitou em revelar quanto estas vão custar ao tesouro, adiantando que as medidas serão seguramente adotadas graças a uma boa gestão financeira, “este novo pacote de medidas, que só este ano vai custar mais 2,4 mil milhões de euros exclusivamente para Famílias.”

Para Costa, ajudar as famílias em dificuldade é importante, mas insiste que isso deve ser feito com responsabilidade, acrescentando que “é fundamental que tenhamos conseguido conjugar medidas que ajudem as famílias a aumentar o seu poder de compra a curto prazo mas não alimentem a espiral da inflação’, alertando que gastar muito pode ‘aumentar os preços hoje, e então eles vão subir amanhã, e amanhã perdemos o que levantamos hoje’.

Ajuda adicional para quase todos

As medidas incluem 125 euros por cada cidadão com rendimento inferior a 2700 euros por mês, mais 50 euros por cada filho da família, enquanto os pensionistas recebem uma sobretaxa de 50% nas suas mensalidades.

O governo também anunciou a redução do imposto de energia elétrica de 13% para 6%, medida que requer aprovação parlamentar. Está também previsto um fundo de apoio às empresas.

Em 2022, o salário mínimo nacional permaneceu em € 822 por mês – ou pouco menos de € 10.000 por ano – tornando-o um dos mais baixos do bloco.

Nicole Leitão

"Aficionado por viagens. Nerd da Internet. Estudante profissional. Comunicador. Amante de café. Organizador freelance. Aficionado orgulhoso de bacon."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *