Portugal junta-se a Brasil e França nos oitavos-de-final do Mundial

Dois gols de Bruno Fernandes ajudaram Portugal a derrotar o Uruguai por 2 a 0 e avançar para as oitavas de final da Copa do Mundo da FIFA.

Na segunda-feira, a segunda vitória consecutiva de Portugal no Estádio Lusail, no Catar, rendeu seis pontos e a liderança do Grupo H no último jogo do dia no Estádio Lusail, no Catar, enquanto Uruguai, Gana e Coreia do Sul lutavam pelo segundo lugar no grupo.

Portugal junta-se a Brasil e França, as outras duas selecções que chegaram aos oitavos-de-final até ao momento.

Portugal começou bem com a bola e teve a maior posse de bola, mas o Uruguai criou a melhor chance. Rodrigo Bentancur trabalhou brilhantemente na defesa portuguesa, mas perdeu a melhor chance do jogo aos 33 minutos, quando chutou direto para Diogo Costa no um a um.

Por outro lado, Bruno trabalhou duro, ganhando 100 por cento de seus desarmes, registrando uma precisão de passe de 93 por cento e, geralmente, jogando juntos para o seu lado, e com João Félix olhando animado para a esquerda para Portugal, o Uruguai teve um punhado de lidar com.

Um chute de longa distância de João saiu ao lado, mas foi um tiro de advertência para o Uruguai da estrela do Atlético de Madrid, de 23 anos.

Portugal continuou a dominar a posse de bola, mas não conseguiu criar uma chance clara, enquanto o Uruguai lutou para controlar a bola.

Depois de um primeiro tempo fraco, o técnico de Portugal, Fernando Santos, esperava que sua seleção encontrasse uma maneira de abrir o placar e eles conseguiram, marcando por Bruno aos nove minutos do segundo tempo. O atacante do Manchester United marcou um segundo nos acréscimos no segundo tempo.

O primeiro gol de Bruno foi inicialmente creditado a seu ex-companheiro de Manchester United, Cristiano Ronaldo, mas foi creditado a Bruno depois.

Em uma jogada que mudou o jogo, o cruzamento de Bruno voou em direção à rede, Ronaldo tentou, mas errou, para acertar um cabeceamento curto que caiu no fundo das redes após escapar do goleiro uruguaio Sergio Rochet. Ronaldo comemorou de forma selvagem, mas Bruno foi oficialmente creditado com o gol.

O Uruguai, um gol atrás, apertou os botões de pânico e mudou de marcha. Durante esse tempo, eles estiveram perto de marcar algumas vezes, quando uma de suas tentativas acertou a peça de metal. Respeito ao substituto uruguaio que mudou o ritmo do jogo. De repente o Uruguai pegou o touro pelos chifres e levou o jogo para Portugal

E foi uma introdução impressionante de Maxi Gomez. Depois de receber um passe na entrada da área, ele rolou pela primeira vez passando por Diogo Costa sob a trave portuguesa, apenas para encontrar a bola quicando na trave direita e longe. O Uruguai esteve mais perto de empatar.

Portugal comemorou o gol com um segundo de um pênalti polêmico nos acréscimos imposto após revisão do VAR.

Portugal ganhou um pênalti após revisão do VAR. José Maria Gimenez manuseou ao cair para trás após levar uma noz-moscada de Bruno. Totalmente sem querer, mas já foi dito que “o cara literalmente abaixa a mão para amortecer a queda” e não é a primeira vez que o VAR é considerado fraco nos pênaltis

Com a entrada de Ronaldo, o trio do técnico santista empatou Ronaldo, Félix e Carvalho, dando lugar a João Palhinha, Gonçalo Ramos e Matheus Nunes. Bruno se adiantou para bater o pênalti, deu um pulinho no ar e só esperou Sergio Rochet cair para a esquerda e só chutou para a direita. Um golpe muito confortável na rede de trás, 2-0.

Depois disso, Bruno teve a chance de marcar seu hat-trick, mas seu remate nos oito minutos de compensação foi frustrado pelo trabalho de metal.

O ex-campeão e anfitrião da primeira edição do torneio de futebol Uruguai, que empatou na primeira partida contra a Coreia do Sul, agora tem apenas um ponto em duas partidas e faz sua última partida contra Gana. O time africano derrotou a Coreia do Sul por 3 x 2 em um thriller de cinco gols na segunda-feira.

Cinco jogadores de 35 anos ou mais – Pepe (39), Cristiano Ronaldo (37), Diego Godin (36), Luis Suárez (35) e Edinson Cavani (35) – foram os que mais jogaram na Copa do Mundo da História.

No segundo tempo, houve um invasor que entrou correndo com a bandeira do arco-íris.

Sua camiseta dizia “Salve a Ucrânia” de um lado e “Respeito pela mulher iraniana” nas costas.

Aleixo Garcia

"Empreendedor. Fã de cultura pop ao longo da vida. Analista. Praticante de café. Aficionado extremo da internet. Estudioso de TV freelance."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *