Portugal planeia reduzir gradualmente o imposto sobre as sociedades a partir do próximo ano

LISBOA (Reuters) – O governo de Portugal prometeu nesta sexta-feira cortes graduais nos impostos corporativos a partir do início de 2014 como parte de reformas fiscais para impulsionar o investimento e ajudar a tirar a economia de sua recessão mais profunda desde a década de 1970.

As medidas de austeridade sob o resgate de 78 bilhões de euros levaram a um aumento acentuado nas falências de empresas e levaram o desemprego a um nível recorde de cerca de 18%.

“A principal prioridade econômica é atrair investimentos locais e estrangeiros, e a reforma do sistema tributário corporativo é muito importante”, disse Antonio Pires de Lima, novo ministro da Economia de Portugal, a repórteres.

O Ministério das Finanças disse em uma apresentação que seu plano é cortar a principal alíquota do imposto corporativo para 19 por cento no médio prazo, de pelo menos 25 por cento agora. Impostos locais e estaduais adicionais significam que, na prática, as empresas portuguesas pagam atualmente uma taxa de 31,5 por cento.

O governo diz que as reformas, que serão realizadas ao longo de cinco anos, também ampliarão a base tributária e eliminarão as isenções e sobretaxas locais.

Ele acrescentou que o esboço do plano foi discutido com uma troika de credores de Lisboa – a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional – na última revisão do resgate, que terminou em junho.

A ministra das Finanças, Maria Luis Albuquerque, disse que o plano é tornar o sistema tributário de empresas de Portugal “um dos mais competitivos da Europa” por meio de reformas iniciadas sob seu antecessor e arquiteto dos esforços de austeridade de Lisboa, Vitor Gaspar.

O ministério acrescentou que “atualmente é aplicada uma taxa de IRC de 19 por cento na Polónia e na República Checa, dois países que competem com Portugal para atrair investimento”.

Autoridades disseram que propostas concretas de reforma serão publicadas na próxima semana e depois discutidas com grupos empresariais e da sociedade civil.

Reportagem de Sergio Gonçalves, escrita por Andrei Khalip e Shrikesh Laxmidas Editado por Jeremy Gaunt.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.