Portugal reivindica eliminação ‘injusta’ contra a Espanha na UEFA Nations League

O seleccionador de Portugal, Fernando Santos, afirma que a eliminação da sua equipa da UEFA Nations League A foi injusta. No Estádio da Cidade, em Braga, a visitante Espanha venceu Portugal por 1-0 com um golo de Álvaro Morata aos 88 minutos para liderar o Grupo 2 com 11 pontos. Portugal está em segundo lugar com 10 pontos.

“É verdade que na primeira parte a Espanha teve mais posse de bola sem criar grandes problemas. Faltou-nos paciência, jogámos com muitos passes longos, mas quando passámos a bola a equipa esteve bem e chegou lá”, explicou o treinador .

Segundo Santos, Portugal criou uma situação de gol, enquanto a Espanha não fez nada além de tentar ter mais posse de bola, relata a Xinhua.

“Tentamos melhorar no primeiro tempo e nos esforçamos muito no reinício. Tivemos grandes oportunidades, mas não as aproveitamos, e a Espanha começou a ter mais posse de bola; e tivemos mais problemas, baixando as linhas sem conseguir conectar o jogo”, disse.

O treinador lamentou que “queria estar na final” da UEFA Nations League e que estava “a trabalhar nisso com a convicção de que vai conseguir”.

O meio-campista português Ruben Neves diz esperar um jogo difícil contra adversários qualificados, mas eles precisam vencer porque estão em casa. “Nos primeiros 15 minutos demos muito espaço à Espanha para ter a bola, apesar de não terem criado boas oportunidades de golo”, argumentou.

“Depois ajustamos nossa pressão, controlamos bem o jogo e tivemos algumas chances no primeiro tempo. Na segunda parte começámos bem, tivemos mais bolas; criamos outra clara oportunidade de gol, mas infelizmente não conseguimos. marcar gols”, lamentou.

Segundo ele, foi o “movimento de distração” que permitiu que o cruzamento saísse para a grande área e, eventualmente, levasse ao gol. “Aconteceu conosco uma vez e cometemos o mesmo erro novamente. Agora não há espaço para pensar mais sobre esta competição.”

Enquanto isso, o técnico da Espanha, Luis Enrique, comemorou com rara euforia depois que sua equipe se classificou para as semifinais da UEFA Nations League A.

Depois de vencer os anfitriões Portugal por 1-0 em Braga, Enrique sublinhou que ainda falta “um passo para chegar à final e conquistar o troféu” depois de a Espanha ter sido vice-campeã no ano passado.

“Temos um objetivo neste desafio: tirar a bola da posse de Portugal. Alcançamos esse objetivo no primeiro tempo, mas sem profundidade, sem criar perigo”, explicou.

“Na segunda parte corrigimos, melhorámos, e com a chegada de jogadores descansados, com melhor nível físico, produzimos uma abordagem contínua à baliza até ao golo, no final. Isso foi decisivo”, disse um óbvio. mover Henrique.

O treinador salientou ainda que “é importante não esquecer o trabalho de quem já está em campo desde o início, que desgasta os adversários”.

Ele explicou a substituição do zagueiro Hugo Guillamon para dar lugar a Sergio Busquets no primeiro tempo, dizendo que “o cartão amarelo de Guillamon pode facilitar para Portugal, que tem um grande atacante”.

“As duas equipes fizeram o seu jogo. Portugal jogou na transição e defendeu bem, em bloco. A Espanha mereceu ganhar? O futebol às vezes é injusto, os portugueses podem pensar que tiveram chances suficientes para vencer, mas nós marcamos. O resultado é o que importa no final.”

–IANS

km/

(Apenas o título e a imagem deste relatório podem ter sido reformulados pela equipe do Business Standard; o restante do conteúdo é gerado automaticamente a partir do feed distribuído.)

Chico Braga

"Explorador. Organizador. Entusiasta de mídia social sem remorso. Fanático por TV amigável. Amante de café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *