Problemas de passaporte ajudaram Portugal a liderar à frente da Inglaterra para Carvalho

Um talento escorregou por entre os dedos. E desta vez, não se refere às esperanças do Fulham de manter Fábio Carvalho.

No cenário nacional, as coisas também mudaram. Carvalho, de 19 anos, foi convocado pelo seleccionador de Portugal Sub-21, Rui Jorge, para as eliminatórias do Campeonato da Europa, frente à Islândia e à Grécia. Tendo representado a Inglaterra entre os sub-15 e os sub-18, inclusive capitaneando a seleção sub-17, Carvalho representará seu país de origem esta semana.

“Com Fabio Carvalho, nós o amamos”, disse o técnico da Inglaterra, Gareth Southgate, nesta semana. “Nós o queríamos em nossos sub-21, mas ele não tem passaporte britânico. Ele pode jogar em nossa faixa etária mais jovem sem passaporte, mas ele tem que passar em um teste para conseguir um passaporte, então não podemos votar nele aos 21 anos. Queremos fazê-lo. Ele está nos Sub-21 de Portugal – não no seu sénior, mas não há muito que possamos fazer sobre isso.

“Esse teste de passaporte é o que todo mundo tem que passar e se você não passar não vai conseguir. Eu não pensei que iria passar por isso! Mas essa é a situação.”

É uma esperança técnica da Inglaterra que não marca uma mudança permanente. Carvalho mudou-se para o sul de Londres em 2013, mas nasceu e cresceu em Lisboa, e passou vários anos da sua formação no Benfica. Ele tinha um passaporte português, mas como Southgate sugeriu, não um passaporte britânico. Sem isso, ele não poderá jogar em partidas oficiais pela seleção nacional e acredita-se que a Inglaterra só pode oferecer uma convocação este mês para os sub-20. Quando Portugal ofereceu os Sub-21 pela primeira vez, Carvalho aceitou.

Não há certeza de que Carvalho ficará com a Inglaterra. “Fabio é filho de pai angolano e mãe madeirense”, disse seu pai, Victor, MaisFutebol mês passado. “Ele nasceu em Portugal e é português. No momento ele nem tem passaporte britânico. Ele quer a seleção de Portugal — que sempre foi seu sonho. Nós estivemos Cidade do Futebol (centro nacional de futebol de Portugal) algumas vezes, mas eles não demonstraram muito interesse.”


Carvalho em ação pela seleção sub-17 da Inglaterra 2018 (Foto: James Baylis – AMA/Getty Images)

Pelas regras da FIFA, essa convocação final teoricamente não é o fim da jornada e Carvalho poderia retornar à Inglaterra se escolher e adquirir a cidadania britânica. Isso se torna ainda mais difícil na configuração sênior, e ter uma segunda nacionalidade será importante nas primeiras aparições competitivas, mas as regras foram atualizadas pela FIFA no ano passado para permitir mais flexibilidade para duplas e multinacionais.

Carvalho não é a única dupla de nacionalidade a atrair a atenção do noticiário no escalão sub-21 esta semana – o médio do Crystal Palace, Michael Olise, foi convocado pela equipa sub-21 da França pela primeira vez após um impressionante início de vida no Selhurst Park. Ele nasceu em Hammersmith, e só representou a França no nível Sub-18 até agora. Southgate voltou a afirmar que gostaria dele no grupo, mas o técnico do Sub-21, Lee Carsley, não tem certeza sobre a perspectiva.

Com Carvalho, a convocação de Portugal pode ser um momento chave.

“Fabio teve uma ótima temporada”, disse Carsley na sexta-feira. “Mas ele não é aquele que (apenas) apareceu. Ele jogou em nossos 15s, 16s, 17s e 18s. Ele não foi capaz de jogar em nenhuma competição devido a problemas de passaporte. Felizmente, este é o processo que queríamos que ele passasse, mas não aconteceu. Ele é um jogador que eu gosto, e ele é um jogador que eu conheço, ele é muito popular com a equipe. Ele causou uma ótima impressão quando esteve conosco. Com certeza vamos ficar de olho nele.”

Mesmo na ausência de Carvalho, a Inglaterra mantém um forte banco de talentos e está lá não faz sentido que eles só queiram chamar jogadores para serem restringidos. Carsley, como jogador de duplas que jogou pela República da Irlanda, nascido em Birmingham, estava ciente do dilema.

“Temos a responsabilidade de garantir que não os limitamos apenas uma vez, depois os limitamos”, disse ele. “Temos a responsabilidade de que, enquanto eles estiverem no campo, veremos desenvolvimentos de longo prazo para ele. Eles são capazes de potencialmente passar por esse caminho? Com o desenvolvimento do futebol não era simples nem direto. Nós sempre tentamos fornecer uma conexão real com os jogadores quando eles estão no campo, para que eles gostem de voltar para casa com a Inglaterra e representar a Inglaterra.

“Tentamos inspirá-los quando estão aqui para lhes dar a sensação de que existe um caminho para os idosos. E, finalmente, eles têm que vir e jogar seu melhor futebol. Você não pode forçar ninguém a jogar. Eu tento ficar longe de limitar os jogadores para que eles não possam fazer mais nada.”

Do ponto de vista do Fulham, a convocação de Carvalho seria bem-vinda pelo representante do Sub-21, bandeira que Steven Sessegnon carregou nos últimos campos, ao lado de ex-jogadores como o irmão de Ryan, e Cody Drameh, agora emprestado ao Cardiff City. Leeds Unidos.

Essa seria uma perspectiva atraente para uma lista que tem um tom amargo. No elenco atual, há outros dois ex-jogadores da academia do Fulham – Djed Spence e Harvey Elliott. Os dois saíram em circunstâncias diferentes, com Spence absolvido e Elliott cortejado pelo Liverpool. Outro graduado, Matt O’Riley, agora no Celtic, parece ter sido monitorado pela Inglaterra, mas como outro de dupla nacionalidade, ele foi convocado pelos sub-21 da Dinamarca.

    MATT-ORILEY-CELTIK-


O ex-meio-campista do Fulham O’Riley, agora no Celtic, foi convocado pela seleção sub-21 da Dinamarca (Foto: Ross Parker/SNS Group via Getty Images)

Mas o que essas convocações sublinharam é a qualidade dos jogadores vindos da academia. No elenco, há mais internacionais Sub-21 com Adrion Pajaziti representando Kosovo, Sylvester Jasper com a Bulgária e Ollie O’Neill com a República da Irlanda.

Como esta pausa internacional mostrou, manter Carvalho está sendo um pouco difícil para a Inglaterra – para o Fulham também.

(Foto: Jacques Feeney/Getty Images)

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *