‘Tudo está pegando fogo’: bombardeio climático no território ucraniano | Notícias de negócios

Por YURAS KARMANAU, JOHN LEICESTER e DAVID KEYTON, Associated Press

Kyiv, Ucrânia (AP) – Uma ofensiva russa criou uma cortina de fogo na terça-feira no leste da Ucrânia, onde bolsões de resistência negam a Moscou o controle militar total da região, quase quatro meses após o Kremlin lançar sua invasão.

“Hoje, tudo o que pode queimar está queimando”, disse Serhiy Haidai, governador da região leste de Luhansk, na Ucrânia, à Associated Press.

A guerra na Rússia levantou preocupações sobre o fornecimento de alimentos da Ucrânia para o resto do mundo e fornecimento de gás da Rússia, além de levantar questões sobre a segurança na Europa Ocidental.

Os militares russos atualmente controlam cerca de 95% da região de Luhansk. Mas Moscou luta há semanas para ganhar o controle total, apesar de mobilizar tropas adicionais e deter uma enorme vantagem em meios militares.

Caricaturas Políticas sobre Líderes Mundiais

Caricatura Política

“Com a ajuda de movimentos táticos, o exército ucraniano está fortalecendo as defesas na região de Luhansk”, disse o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy em seu discurso em vídeo à noite. “Isso é realmente onde a situação mais difícil está agora.”

Na cidade de Sievierodonetsk, um ponto quente de combate, os defensores ucranianos se agarram à fábrica de produtos químicos Azot, na periferia industrial. Cerca de 500 civis se abrigaram na fábrica, e Haidai disse que as forças russas transformaram a área “em ruínas”.

“Isso é um desastre total”, disse Haidai à AP em comentários escritos sobre a usina. “Nossas posições estão sendo atacadas por obuses, lançadores de foguetes múltiplos, artilharia de grande calibre, ataques com mísseis.”

As defesas da fábrica de produtos químicos lembram a siderúrgica Azovstal sitiada na cidade brutal de Mariupol, onde as tropas ucranianas vinham bombardeando há semanas.

A vizinha Lysychansk, a única cidade da região de Luhansk ainda completamente sob controle ucraniano, também foi alvo de vários ataques aéreos.

Ataques aéreos em Sievierodonetsk e Lysychansk destruíram mais de 10 prédios residenciais e uma delegacia de polícia. Na cidade de Avdiivka, na região de Donetsk, uma escola pegou fogo no tiroteio, disse o gabinete do presidente. As regiões de Luhansk e Donetsk compõem o Donbas.

Separadamente, o procurador-geral dos EUA, Merrick Garland, se reuniu por cerca de uma hora em um posto fronteiriço entre Ucrânia e Polônia com a procuradora-geral ucraniana Iryna Venediktova. Eles discutiram como os EUA podem ajudar a identificar, prender e processar qualquer pessoa envolvida em crimes de guerra e outras atrocidades na Ucrânia.

“Nós e nossos parceiros buscaremos todos os meios disponíveis para garantir que os responsáveis ​​por essas atrocidades sejam responsabilizados”, disse Garland em comunicado.

Garland também nomeou Eli Rosenbaum – um veterano de 36 anos do Departamento de Justiça que liderou os esforços para identificar e deportar criminosos de guerra nazistas – como conselheiro de responsabilização de crimes de guerra. Ele coordenará os esforços para responsabilizar os responsáveis ​​por crimes de guerra e outras atrocidades na Ucrânia.

Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, também estava sob forte ataque russo na terça-feira. O governador By Syniehubov disse que 15 civis foram mortos e 16 feridos em Kharkiv e em outros lugares da região.

Zelenskyy disse que o ataque na região de Kharkiv foi “cruel e cínico” porque não trouxe benefícios claros para as tropas russas. “Os soldados russos são surdos a qualquer racionalidade. Ele apenas destrói, apenas mata, e dessa forma mostra suas ordens de que não está realmente no lugar”, disse ele em seu discurso em vídeo.

Falando na terça-feira para graduados da academia militar russa em uma recepção luxuosa no Kremlin, o presidente russo, Vladimir Putin, elogiou as Forças Armadas da Rússia como herdeiras das tradições militares “lendárias” do país. “O país está agora passando por outra série de testes”, disse ele, expressando confiança de que a Rússia superará todos os desafios.

“Não há dúvida de que nos tornaremos mais fortes”, acrescentou.

O apoio internacional à Ucrânia foi demonstrado mais uma vez quando a medalha do Prêmio Nobel da Paz leiloada pelo jornalista russo Dmitry Muratov foi vendida na noite de segunda-feira por US$ 103,5 milhões, quebrando o recorde de longa data do Nobel. O leilão visa arrecadar dinheiro para crianças refugiadas ucranianas.

As tensões geopolíticas decorrentes da invasão russa retornaram à Lituânia. Devido às sanções da União Europeia contra Moscou, a nação báltica no início deste mês proibiu o tráfego ferroviário em seu território da Rússia ao enclave russo de Kaliningrado.

Kaliningrado, com uma população de cerca de 430.000 pessoas, fica entre a Lituânia e a Polônia, ambos países da UE, e isolada do resto da Rússia.

Nikolai Patrushev, forte secretário do Conselho de Segurança do Kremlin e linha-dura, visitou Kaliningrado na terça-feira e prometeu responder à proibição.

“Medidas relevantes estão sendo elaboradas em formato interagências e serão adotadas em breve”, disse Patrushev, sem dar mais detalhes. Ele acrescentou: “Suas consequências terão um impacto negativo significativo na população lituana”.

Em outros desenvolvimentos terça-feira:

– Zelenskyy disse que conversou com os líderes dos nove membros da União Europeia – Croácia, Dinamarca, Hungria, Irlanda, Lituânia, Luxemburgo, Portugal, Eslováquia e Espanha – em antecipação à reunião de sexta-feira dos líderes da UE para decidir se concederá à Ucrânia o status de candidato. Ele disse que sua agenda para quarta-feira estava igualmente cheia. “Estamos ampliando o círculo daqueles que apoiam a candidatura da Ucrânia e tornando mais provável que a decisão de sexta-feira seja positiva”, disse ele.

– John Kirby, porta-voz de segurança nacional da Casa Branca, disse que era “terrível” que o Kremlin sugerisse que dois americanos capturados pelas forças russas na Ucrânia pudessem ser condenados à morte. Kirby se recusou a dizer que medidas os EUA tomariam se a Rússia não tratasse Alex Drueke e Andy Huynh, ambos do Alabama, como prisioneiros de guerra sob as Convenções de Genebra. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse que “depende da investigação”, quando perguntado durante uma entrevista à NBC se os americanos poderiam ser condenados à morte como dois britânicos e um marroquino que foi preso enquanto lutava pela Ucrânia.

— O Departamento de Estado dos EUA confirmou a morte de um cidadão americano na Ucrânia que se acredita ser o segundo americano a morrer lutando no conflito.

– O Ministério da Defesa da Grã-Bretanha disse em um relatório de inteligência que as defesas costeiras da Ucrânia “neutralizaram amplamente” a capacidade da Rússia de projetar poder marítimo no noroeste do Mar Negro. “Isso prejudicou a viabilidade do projeto operacional original da Rússia para uma invasão, que envolveu a região de Odesa em perigo por causa do mar”, disse o relatório.

– As autoridades russas bloquearam o site do jornal britânico The Telegraph por artigos publicados, informou o grupo de direitos da internet Roskomsvoboda na terça-feira. Ele disse que a mídia russa e o regulador de internet Roskomnadzor bloquearam o acesso da Rússia a uma história alegando que tropas russas prepararam um crematório móvel para uso em sua guerra com a Ucrânia, possivelmente para esconder suas baixas militares. A mudança tornou todo o site do Telegraph inacessível para alguns russos.

Karmanau relata de Lviv. Francesca Ebel contribuiu da passagem de fronteira de Krakovets na Ucrânia.

Siga a cobertura da guerra da AP em https://apnews.com/hub/russia-ukraine

Direitos autorais 2022 O Imprensa associada. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.