Two Door Cinema Club no NOS Alive: um melódico “vai dar tudo certo” para o final da festa

No seu oitavo espectáculo em Portugal, o Two Door Cinema Club apresentou os seus êxitos e ainda mais uma melodia, numa festa tardia para a qual – excepto os fãs mais empenhados – o público anteriormente falhou a marca da energia.
Onde outros grupos contemporâneos e classes adjacentes caíram, o Two Door Cinema Club, concebido há muito tempo na Irlanda do Norte, continua fechando a configuração de shows ao vivo significativos. No NOS Alive, seja como for, encontraram uma multidão de pessoas até certo ponto sem qualquer traço de indivíduos e energia; muitos têm vindo a Algés para ver a chegada de Da Weasel ou os triunfos dos Imagine Dragons, não sobrando para mexer ao som de Alex Trimble, Sam Halliday e Kevin Baird, um trio ‘elevado’ a quinteto, na sua forma ao vivo.

Se antes se dizia que os encontros com melodias auriculares tinham um som “radiofônico”, hoje poderíamos suplantar a articulação com um som “promotor”. Até certo ponto, por conta do Two Door Cinema Club, um número significativo de temas ganhou reputação depois de ser lembrado por esforços de promoção; quando essa memória distante é despertada, prestar atenção ao programa acaba sendo chocantemente semelhante a destruir entre canais sem muita consideração.

Verdadeiramente, para os numerosos observadores que vibram nas primeiras colunas da multidão, e que as câmeras filmam com sorrisos de uma orelha a outra, a onda de pedra do maior produto de Bangor (a cidade de onde vêm) faz toda a diferença para os estado de espírito, neste final da festa um pouco esgotado. Especialmente fundado na guitarra de Sam Halliday, sucessos como ‘I Can Talk’, que abriu a noite, ‘Changing of the Seasons’ ou ‘Sun’ apresentam um som vitaminado que anima as pessoas que ficaram em Algés para ver o último espectáculo do palco principal.

Conversando em um falsete ocasionalmente circunspecto, de vez em quando muito articulado, Alex Trimble é um frontman cuidadoso e amigável, que sempre agradece ao público português, com o qual a banda agora está próxima, por demonstrações de calor, por exemplo, o serenatas cantadas após ‘This Is The Life’.

Picando o disco-pop do Maroon 5, o folk pop do Mumford and Sons ou mesmo as guitarras do Vampire Weekend, Two Door Cinema Club são uma espécie de sinopse do material dado, ao longo dos últimos 15 anos, em anglo-saxão. pop rock americano. saxão Despedem-se com ‘Sun’, sucesso retirado da sua coletânea posterior, “Reference point” de 2012, e na sequência de passarem, durante o espectáculo, outro tema, ‘Magnificent Life’, susceptível de ser recordado pelos seguintes coleção, “Continue a sorrir”, agendada para setembro. Entre copos no chão, confetes no ar e muitas pernas cansadas, tornaram a festa concebível.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.