Veterano surfista Marcio Freire morre em quebra de ondas grandes em Portugal Nazaré | Portugal

Marcio Freire foi homenageado após a morte da lenda brasileira enquanto surfava nas ondas gigantes da Nazaré Portugal.

Freire estava entre os três surfistas brasileiros pioneiros que apareceram no documentário de 2016 Mad Dogs sobre sua tentativa de conquistar a onda gigante Jaws Havaí.

Ele foi morto na quinta-feira enquanto surfava nas famosas ondas do Atlântico em Portugal, lar do Canhão da Nazaré, considerado um dos maiores e mais assustadores desafios do esporte.

“Um homem de 47 anos, de nacionalidade brasileira, morreu esta tarde após cair enquanto surfava na Praia do Norte”, informou a Autoridade Marítima Nacional em comunicado.

“Os socorristas determinaram que a vítima estava em parada cardíaca e imediatamente começaram as manobras de RCP na areia. Depois de várias tentativas não foi possível reverter a situação.”

O Canyon da Nazaré está localizado ao largo da costa atlântica oriental, tem 5 km de profundidade e 170 km de comprimento.

Segundo a autoridade marítima local, a vítima era Freire, um surfista veterano que morou por 20 anos no Havaí, tradicional pátria do esporte.

Homenagens de outros surfistas chegaram ao Instagram. “Hoje perdemos um de nós”, postou o colega surfista de ondas grandes Nic von Rupp.

“Ele surfou o dia todo com um grande sorriso no rosto. É assim que vou me lembrar dele. Lenda.”

Thiago Jacare, também surfista brasileiro de Freire, também postou no Instagram da Nazaré, homenageando um amigo próximo a quem chamou de “mais que um ídolo” e “um verdadeiro herói”.

O fotógrafo esportivo Fred Pompermayer escreveu: “Hoje perdemos um grande homem, um grande amigo e um lendário surfista em Marcio Freire. Ele era um espírito tão feliz, sempre com um sorriso no rosto… descanse em paz meu amigo.”

Fontes locais disseram que as condições do mar não estavam particularmente perigosas na quinta-feira.

Nazaré é onde o surfista alemão Sebastian Steudtner estabeleceu o recorde mundial para a maior onda já surfada – um quebra-mar de 86 pés (26,2 m) – em 29 de outubro de 2020.

Desde que o americano Garett McNamara o apresentou à comunidade de surfistas de ondas gigantes no início dos anos 2010, vários acidentes ocorreram neste local. Até quinta-feira, porém, nenhum havia sido fatal.

Com Reuters e Agencia France-Presse

Aleixo Garcia

"Empreendedor. Fã de cultura pop ao longo da vida. Analista. Praticante de café. Aficionado extremo da internet. Estudioso de TV freelance."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *