No caso Madeleine McCann, a investigadora faz amizade com o suspeito

Emmanuel Macron e Marine Le Pen encerraram seu tão esperado debate presidencial – então, quem sairá por cima e liderará a França em alguns dias?

Em apenas quatro dias, o povo da França irá mais uma vez às urnas para eleger seu próximo presidente.

O líder interino Macron triunfou no confronto de 2017 e depois se tornou presidente.

Este debate foi creditado como uma das razões pelas quais Le Pen não teve sucesso em sua candidatura à presidência.

Analistas dizem que Macron estava principalmente no ataque, atuando como desafiante e interrompendo Le Pen em várias ocasiões.

O comentarista político Natanael Bloch se juntou ao Ticker NEWS e diz que o debate está mais civilizado do que em 2017.

“Le Pen queria atacá-lo (Macron) nos últimos cinco anos. É por isso que Macron estava na ofensiva, porque ele não queria que ela o atacasse, o que ele fez cinco anos antes”, diz ele.

Le Pen está atualmente atrás de Macron nas últimas pesquisas, mas analistas políticos enfatizam que a corrida pelo Eliseu está longe de terminar.

Milhões de eleitores continuam indecisos e ambos esperam ganhar vantagem durante o debate de duas horas e meia.

“É muito difícil dizer se (o debate) terá algum impacto na votação, houve apenas uma pesquisa que ocorreu após o debate que mostrou que agora 60% das pessoas que assistiram ao debate estavam mais convencidas do que Emmanuel Macron. e 40% de Le Pen”, diz Bloch no ticker.

No início do debate, Le Pen disse que 70% dos franceses acreditam que seu padrão de vida caiu nos últimos cinco anos do governo Macron.

Os dois candidatos entraram em conflito sobre isso, bem como sobre a Rússia, as mudanças climáticas e a imigração.

Le Pen parabenizou Macron por seu trabalho na Ucrânia, mas o criticou por cortar a Rússia.

Bloch diz que era impossível para Le Pen não ver que Emmanuel Macron está novamente indo muito bem e com sucesso em alguns assuntos internacionais.

“Ela diz que, mesmo que seja financiada pela Rússia, isso não significa que ela seja dependente da Rússia, o que, claro, é algo que realmente não é forte”, diz Bloch ticker.

“Se você olhar para o debate. A única coisa que ela queria trazer é que a União Europeia tem que lidar com a Rússia”.

Macron foi um diplomata poderoso durante a guerra da Ucrânia e colocou a França no cenário mundial. Le Pen pode administrar a política externa quando está tão focada em assuntos nacionais?

Bloch diz que Le Pen mudou sua posição sobre finanças.

“Em relação à política externa em relação à UE, por exemplo, ela disse há alguns meses que quer o que podemos chamar de saída livre, saída da União Europeia. E agora, quando Macron a provocou ontem, ela disse que não quer mais sair da UE, mas quer que a França recupere mais soberania e mais poderes dentro da UE”, diz ele.

Isso é difícil, diz Bloch, porque algumas decisões só podem ser tomadas a nível da UE.

“E como um estado individual, você não pode realmente agir internacionalmente sem o apoio da UE. E aqui também vemos os limites do programa Le Pen em termos de relações exteriores e relações internacionais.”

Ele diz que Le Pen parece estar no meio disso. “E supondo, é claro, que ela queira deixá-lo, pois ela também quer que a França abandone o comando militar da OTAN.”

“Ela reiterou que não quer mais sair da UE, ela realmente quer que a França saia do comando militar da OTAN. E também quer integrar a Rússia e estreitar os laços entre a OTAN e a Rússia”, acrescenta.

“Mas você sabe, com todos esses elementos, parece um programa muito, muito desequilibrado em termos de relações internacionais.”

Por fim, Bloch diz que Emmanuel Macron sabe que teve alguns sucessos no cenário internacional como o Brexit e tem a liderança para guiar a Europa nas crises em curso.

O debate foi transmitido pelas duas principais emissoras de TV do país, além de canais de notícias.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *