Bancos portugueses fecham contas de câmbio criptográfico, revelações da mídia – Finance Bitcoin News

De acordo com relatos da mídia, os principais bancos portugueses começaram a fechar ou recusar contas para plataformas de criptomoedas, como bolsas. A mudança ameaça manchar a imagem do país como um dos destinos de viagem mais cripto-amigáveis ​​da Europa, um paraíso para os entusiastas do Bitcoin.

Empresas de cripto portuguesas atingidas por fechamento de contas bancárias

Portugal, um dos principais centros europeus de criptomoedas, corre o risco de perder seu apelo para empresas de criptomoedas e talentos que trabalham no setor, já que alguns de seus maiores bancos estão fechando contas de empresas que trabalham com moedas digitais.

Na semana passada, o maior banco listado do país, o Banco Comercial Português, e outra grande instituição, o Banco Santander, fecharam todas as contas na Criptoloja, com sede em Lisboa, informou a Bloomberg, citando o cofundador e CEO da bolsa, Pedro Borges. O desenvolvimento segue a decisão de dois bancos menores de fechar as contas da plataforma.

Em nenhum desses casos houve uma explicação oficial, enfatizou o empresário cripto. O banco estatal Caixa Geral de Depósitos e o Lisboa estão agora sediados Grande também começaram a diminuir ou fechar contas de câmbio de criptomoedas, revelou o Jornal de Negócios esta semana.

Pelo menos dois outros corretores de criptomoedas foram afetados pelo fechamento de contas bancárias este ano, disse o relatório. A Mind the Coin não consegue abrir uma conta há meses e a rival Luso Digital Assets fechou algumas de suas contas, reclamaram seus executivos.

Empresa portuguesa de criptomoedas é forçada a abrir contas fora do país

As regras de combate à lavagem de dinheiro e de conhecimento do cliente costumam ser os principais motivos apresentados pelos credores que se recusam a trabalhar com empresas de criptomoedas. O Banco Comercial disse ter a obrigação de denunciar transações suspeitas que possam levar à suspensão dos serviços bancários de algumas empresas. O Banco Santander está agindo “de acordo com sua percepção de risco”, disse um representante.

“Agora temos que contar com o uso de contas fora de Portugal para administrar a bolsa”, admitiu o fundador da Criptoloja, Pedro Borges. E isso apesar de sua empresa ter sido a primeira a receber uma licença do banco central no ano passado. A Criptoloja sempre informou as autoridades sobre operações suspeitas e seguiu todos os procedimentos de compliance, frisou. Pedro Guimarães, do Mind the Coin, acrescentou:

Embora não haja uma explicação oficial, alguns bancos apenas nos dizem que não querem trabalhar com empresas de criptomoedas. Atualmente é quase impossível iniciar um negócio criptográfico em Portugal.

Três em cada cinco plataformas de negociação de moedas são autorizadas por banco de portugal encerraram suas contas este ano. Embora não esteja claro se a tendência está afetando outras empresas do setor, pode ser um sinal de piora do ambiente em Portugal atraído Entusiastas de criptografia com seu zero por cento CUBA em ganhos de criptografia, custos de vida acessíveis e clima ameno.

tags nesta história

Conta, encerramentos de contas, contas, Banco, contas bancárias, bancos, cripto, empresa de criptografia, trocas de criptografia, empresas de criptografia, plataformas criptográficas, criptomoedas, criptomoeda, Intercâmbio, Portugal, Português

Você espera que o fechamento de contas bancárias afete outras empresas de criptografia em Portugal? Diga nos na seção de comentários abaixo.

Lubomir Tasev

Lubomir Tassev é um jornalista da Europa Oriental especialista em tecnologia que gosta da citação de Hitchen: “Ser um escritor é o que eu sou, não o que eu faço”.

Crédito da foto: Shutterstock, Pixabay, Wiki Commons, RaffMaster

Isenção de responsabilidade: Este artigo é somente para propósitos de informação. Não é uma oferta direta, nem uma solicitação de oferta de compra ou venda, nem uma recomendação ou endosso de qualquer produto, serviço ou empresa. Bitcoin.com não fornece consultoria de investimento, fiscal, jurídica ou contábil. Nem a empresa nem o autor são responsáveis, direta ou indiretamente, por qualquer dano ou perda causada ou supostamente causada por ou em conexão com o uso ou confiança em qualquer conteúdo, bens ou serviços mencionados neste artigo.

Alberta Gonçalves

"Leitor. Praticante de álcool. Defensor do Twitter premiado. Pioneiro certificado do bacon. Aspirante a aficionado da TV. Ninja zumbi."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *