Cerca de 200 vistos de nômade digital foram emitidos em apenas dois meses e meio

Tudo o que é necessário é um salário mensal bruto de € 3.040…

Em apenas dois meses e meio, 200 pessoas solicitaram o novo ‘visto de nômade digital’ do governo português – a maioria delas cidadãos do Reino Unido, Estados Unidos e Brasil.

A beleza desse visto é que ele dá aos requerentes um pé na porta para a residência permanente.

Se gostarem do ano que vão passar em Portugal, podem inscrever-se no Próxima Etapa‘, que você pode ver, emitido com um estada de cinco anos — e depois disso, como muitos residentes de longa data sabem, não demora muito residência permanente, renovável a cada 10 anos.

Como explicam vários sites, os nômades digitais não precisam ter nem perto da riqueza necessária para os solicitantes do ‘visto gold’.

As autoridades exigem prova de Salário mensal bruto “superior a quatro salários mínimos em Portugal” (ou seja, mais de € 3.040).

Quando os candidatos trabalham para uma empresa (não para si próprios), “as regras são as mesmas, mas podem fazer prova de emprego por contrato de trabalho, promessa de contrato ou declaração da entidade patronal comprovativa do trabalho”.

Verdade seja dita, o governo está retrocedendo ao tentar emitir vistos para possíveis novos residentes de fora do espaço Schengen.

Antes desse novo visto, os teletrabalhadores realmente só podiam escolher entre vistos D7 (mais voltados para aposentados e pessoas com renda passiva) e vistos Golden.

A agência noticiosa Lusa escreve que tentou apurar quantos dos 200 “vistos de nómada digital atribuídos” até ao momento passaram do processo D7, “mas não obtiveram resposta”.

Lisboa e Madeira Enquanto isso eles são dois destinos no top 10 a partir de lista nômadeum barômetro de plataforma de movimentos nômades digitais.

Desde que a pandemia acelerou o trabalho remoto Cada vez mais países estão oferecendo vistos para atrair e reter trabalhadores e empresários com fontes de renda acima da média nacionalacrescenta Lusa.

Além de conceder uma permanência mais longa, geralmente de até um ano, Muitas dessas licenças fornecem benefícios fiscaiso que tem causado insatisfação entre os moradores locais.

Como o nome sugere, os nômades digitais viajam de país para país e nem sempre precisam de visto para fazê-lo, optando muitas vezes por sair das fronteiras e voltar alguns dias depois, por exemplo com visto de turista.

De acordo com os dados fornecidos ao PÚBLICO pela Câmara Municipal do Porto, um nómada digital passa em média sete noites na cidade (um turista fica 2,1 noites). Os números são uma estimativa do número de visitas dos nômades digitais com base no número de viagens cadastradas pelos membros da Nomad List, uma plataforma paga, diz a prefeitura.

A estadia média mais elevada em Portugal é na Madeira, onde existe uma “aldeia” de nómadas digitais na Ponte do Sol em parceria com o governo regional.

Globalmente, a plataforma mostra que a maioria dos nômades digitais (59%) fica em um país entre sete e 30 dias. No entanto, o tempo médio de permanência é de oito meses.

natasha.donn@portugalresident.com

Nicole Leitão

"Aficionado por viagens. Nerd da Internet. Estudante profissional. Comunicador. Amante de café. Organizador freelance. Aficionado orgulhoso de bacon."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *