Portugal contraria escassez de médicos com recrutamento no estrangeiro

“O tema da melhoria das capacidades de formação é essencial. E depois há outras soluções. Não descuramos a possibilidade de contratar médicos no estrangeiro e se tivermos dificuldades reais em formar especialistas aqui, vamos ponderar a formação noutros países”, afirmou a ministra da Saúde, Marta Temido.

Sobre a possibilidade de recrutamento e formação no estrangeiro, o ministro adiantou que foram feitos contactos.

“Estamos fazendo alguns contatos – não é nenhum segredo, não é nenhuma reserva – com alguns países para entender como podemos enfrentar problemas que são problemas de sistema com recursos externos. Isso já aconteceu em certas situações concretas no passado”, disse ela.

Em Portugal, admitiu estar em conversações com a Ordem dos Médicos para aumentar a capacidade formativa no país.

“Cabe ao Governo fixá-los com o parecer da Ordem dos Médicos e vamos trabalhar juntos para os expandir ao máximo, embora saibamos que houve vagas no último concurso de especialistas que não foram preenchidas. Por isso, temos também um problema com a atractividade do trabalho médico, que não é só no Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, disse, recusando-se a “entrar em discussões” sobre se o país tem “médicos a mais ou a menos médicos.” têm “.

Marco Soares

Entusiasta da web. Comunicador. Ninja de cerveja irritantemente humilde. Típico evangelista de mídia social. Aficionado de álcool

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *