Rabino disse que foi detido em prisão preventiva quando Roman Abramovich recebeu a cidadania portuguesa

JTA – Um rabino sênior na segunda cidade de Portugal foi preso como parte de uma investigação sobre como Roman Abramovich, o oligarca judeu russo sancionado esta semana em resposta à invasão da Ucrânia pela Rússia, ganhou a cidadania portuguesa no ano passado.

O rabino Daniel Litvak, da Comunidade Judaica do Porto, uma organização que representa os judeus naquela cidade, foi preso quinta-feira quando se preparava para partir para Israel, segundo o jornal português Publico.

Várias autoridades portuguesas investigaram se a cidadania de Abramovich foi devidamente concedida ao abrigo da lei portuguesa de 2013 que permite a naturalização de descendentes de judeus sefarditas. A lei representou uma tentativa de expiação para a Inquisição, uma campanha de perseguição religiosa na Espanha e Portugal no século 16 que forçou dezenas de milhares de judeus a emigrar, ocultar suas identidades judaicas ou abandoná-los completamente.

O governo delegou a tarefa de analisar os pedidos de cidadania a dois grupos, a Comunidade Judaica de Lisboa e a organização Litvak no Porto. Dezenas de milhares de candidatos tornaram-se cidadãos portugueses ao abrigo da lei, o que ajudou a tornar o Porto um destino turístico judaico.

A cidadania de Abramovich – que lhe rendeu um passaporte da União Europeia pela primeira vez – levantou questões, já que a maioria dos judeus russos são asquenazes e não têm raízes sefarditas. Mas Litvak disse em janeiro que tinha certeza de que uma investigação mostraria que sua organização avaliou a oferta de Abramovich da mesma forma que a de qualquer outra pessoa.

A comunidade judaica do Porto não respondeu de imediato a uma consulta da Agência Telegráfica Judaica sobre a detenção de Litvak.

O Publico informou que os investigadores estão a apurar se “manipulação de tráfego, corrupção ativa, falsificação de documentos, branqueamento de capitais” e outros delitos desempenharam um papel na concessão da cidadania ao Porto. Detetives portugueses realizaram novas incursões na sexta-feira, informou a organização de notícias.

A investigação sobre como a comunidade judaica do Porto deu cidadania a judeus sefarditas começou bem antes do presidente russo, Vladimir Putin, invadir a Ucrânia no mês passado.

Mas a guerra intensificou o escrutínio de Abramovich e outras pessoas associadas a Putin. Na quinta-feira, o Reino Unido, onde vive e é dono do clube de futebol Chelsea, impôs sanções a ele pela primeira vez.

Autoridades portuguesas disseram à Reuters que Abramovich pode perder sua cidadania portuguesa dependendo de como a investigação for. Abramovich também é cidadão israelense.

Você é um leitor engajado

É por isso que lançamos o Times of Israel há dez anos, para fornecer a leitores perspicazes como você uma cobertura essencial de Israel e do mundo judaico.

Então agora temos um pedido. Ao contrário de outras agências de notícias, não configuramos um paywall. No entanto, como o jornalismo que fazemos é caro, convidamos os leitores que acharam o The Times of Israel importante para apoiar nosso trabalho juntando-se A Comunidade Tempos de Israel.

Por apenas US $ 6 por mês, você pode apoiar nosso jornalismo de qualidade enquanto desfruta do The Times of Israel ANÚNCIO GRÁTISassim como o acesso conteúdo exclusivo disponível apenas para membros da comunidade Times of Israel.

Obrigado,
David Horovitz, editor fundador do Times of Israel

Junte-se a nossa comunidade

Junte-se a nossa comunidade

já é um membro? Faça login para parar de ver isso

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.