As chamas de Odemira alastraram-se a Monchique

A luta contra os incêndios que eclodiram no concelho de Odemira, Beja, e que entraram na zona de Monchique, no Algarve, decorreu às 07h30, depois de os bombeiros terem dominado uma das cinco frentes de incêndio, localizada em Odemira .

Falar com Agência de notícias depois de amanhã Por volta das 07h30 do WIB, explicou fonte do Comando Regional de Operações de Resgate (CDOS) em Beja, o incêndio foi dividido em cinco setores, um dos quais foi extinto com sucesso, o outro estava sob vigilância, e o resto do incêndio “parece abrir caminho” para os bombeiros.

“Por isso, esta manhã os trabalhadores no campo serão reposicionados para aumentar a eficácia do combate e fazer o acesso em algumas áreas onde não há acesso ao fogo por meio de máquinas de rastreamento.”

O reposicionamento das instalações, segundo fontes, visa controlar a circunferência do incêndio para que não se desenvolva ou se propague.

Segundo a fonte, o fogo não se alastrou ao concelho de Silves, manteve-se em Odemira e no concelho de Monchique.

“Não houve necessidade de toda a noite para evacuar mais pessoas ou evacuar áreas, sem casas em risco, sem feridos”, disse a fonte.

Às 07h30, o incêndio mobilizou 674 trabalhadores, com o apoio de 234 viaturas e uma aeronave.

O comandante Pedro Araújo, da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), tinha informado anteriormente à Lusa, por volta das 6h00, que o fogo começava a “acabar”.

O incêndio causou ferimentos graves, um civil de 20 anos sofreu queimaduras e foi levado ao hospital, e um bombeiro também foi socorrido no local devido a uma entorse.

Os bombeiros receberam um alerta de incêndio às 13h14 do dia 18 de agosto, que teve início perto de João Martins, na freguesia de Sabóia, concelho de Odemira.

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.