Fibromialgia: não apenas dor e fadiga.

Os sintomas mais comuns da fibromialgia são: dor e rigidez em todo o corpo; cansaço e fadiga; depressão e ansiedade; distúrbios de sono; problemas de pensamento, memória e concentração; Dores de cabeça (incluindo enxaquecas) e problemas digestivos como dor abdominal, inchaço, constipação e até síndrome do intestino irritável.

A causa da fibromialgia não é conhecida, mas estudos mostram que as pessoas com a doença têm uma maior sensibilidade à dor, fazendo com que sintam dor quando outras não. Estudos de imagem cerebral e outras pesquisas descobriram evidências de sinalização alterada nas vias nervosas que transmitem e recebem dor em pessoas com fibromialgia. Essas mudanças também podem contribuir para a fadiga, problemas para dormir e problemas cognitivos que muitas pessoas com o transtorno experimentam.

A fibromialgia tende a ocorrer em famílias, então fatores genéticos provavelmente contribuem para a condição, mas pouco se sabe sobre os genes específicos envolvidos. Os pesquisadores acreditam que fatores ambientais (não genéticos) também desempenham um papel no risco de uma pessoa desenvolver a doença. Esses gatilhos ambientais podem incluir uma doença que causa dor, como B. artrite reumatóide ou problemas psicológicos. B. ansiedade ou depressão.

Mas a fibromialgia pode ser efetivamente controlada e controlada com medicamentos e estratégias de autotratamento, que podem incluir: medicamentos (incluindo medicamentos prescritos e analgésicos de venda livre); exercícios aeróbicos e exercícios de fortalecimento muscular; cursos de educação do paciente, geralmente em cuidados primários ou ambientes comunitários; técnicas de gerenciamento de estresse, como meditação, ioga e massagem; bons hábitos de sono para melhorar a qualidade do sono; Terapia cognitivo-comportamental para tratar a depressão subjacente.

A principal mensagem para pacientes que sofrem de fibromialgia? Melhore sua qualidade de vida.

– Seja fisicamente ativo. Os especialistas recomendam que os adultos façam 150 minutos de atividade física moderada por semana. Caminhe, nade ou ande de bicicleta 30 minutos por dia, cinco dias por semana. Esses 30 minutos podem ser divididos em três sessões separadas de 10 minutos durante o dia. A atividade física regular também pode reduzir o risco de outras doenças crônicas, como doenças cardíacas e diabetes.

– Ir para os programas de atividade física recomendados. Aqueles preocupados em como se exercitar com segurança podem participar de programas de atividade física que demonstraram ser eficazes no alívio da dor e da incapacidade associada à artrite e na melhora do humor e da mobilidade. Essas aulas podem ajudá-lo a se sentir melhor.


– Faça um curso de autogestãoajudando as pessoas com fibromialgia a serem mais confiantes, controlar seus sintomas, viver bem e entender como a condição está afetando suas vidas.

Finalmente, nossos melhores votos para você em 2023: Viva muito, seja feliz, mantenha-se motivado, continue sorrindo.

Contacte para mais informações Grupo HPA Saúde em +351 282 420 400.

Isenção de responsabilidade:
As opiniões expressas nesta página são do autor e não do The Portugal News.

Nicole Leitão

"Aficionado por viagens. Nerd da Internet. Estudante profissional. Comunicador. Amante de café. Organizador freelance. Aficionado orgulhoso de bacon."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *