Juventude enfrenta barreira linguística – The Portugal News

De acordo com os resultados da fase piloto do ‘EduMediaTest’, uma ferramenta que avalia competências e formação em educação para os media e que é aplicada em sete países europeus, os portugueses estão ao mesmo nível dos outros jovens.

Para além de Portugal, onde foram inquiridos 2.636 jovens com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos, o ‘EduMediaTest’ foi aplicado por entidades da Catalunha (Espanha), França, Irlanda, Eslováquia, Croácia e Grécia.

“A dimensão em que os estudantes portugueses, assim como os seus homólogos europeus, são mais competentes é a Tecnologia, seguida da Estética”, refere um comunicado da Entidade Reguladora dos Media (ERC).

No estudo, a alfabetização midiática dos jovens foi avaliada em seis dimensões. Além da Tecnologia, que significa a capacidade de trabalhar com inovações tecnológicas que possibilitem a comunicação multimídia, são avaliadas Estética, Recepção, Produção e Difusão, Linguagem e Ideologia.

A dimensão da linguagem inclui a capacidade de construir relações entre textos, analisar e avaliar mensagens e se expressar por meio de diferentes sistemas de representação e significado.

“Os jovens mostram (…) níveis mais fracos de dimensões que exigem interpretação da informação, uso da linguagem, bem como em questões ideológicas ou relacionadas à função da mídia como negócio ou com sua regulação”, diz o comunicado. .

“Os resultados de 8.699 jovens testados em todos os países ressaltam a necessidade de investimento em treinamento em diferentes habilidades de alfabetização midiática”, disse o relatório.

Olhando para os resultados de mais de dois mil alunos portugueses, do 8º ao 12º ano em 25 escolas privadas e públicas de todas as regiões do país, as raparigas pontuam ligeiramente acima dos rapazes.

A pontuação média também aumenta de acordo com a idade dos alunos.

Para além dos resultados obtidos no ‘EduMediaTest’, que é cofinanciado pela Comissão Europeia no âmbito do programa ‘Media Literacy for All’, o relatório refere ainda que a maioria dos jovens tem telemóvel com acesso à Internet e computador próprio , mas menos da metade tem acesso a jornais, revistas ou livros em casa. O nível acadêmico da mãe também parece ter uma influência positiva no desempenho dos alunos.

Entre as recomendações, que enfatizam a necessidade de fortalecer as habilidades de alfabetização midiática, o relatório também aponta que as escolas devem trabalhar em estreita colaboração com a mídia para ajudar a melhorar as habilidades e compreensão da produção de conteúdo midiático, e que as escolas também devem fornecer treinamento aos pais nesta área .

Chico Braga

"Explorador. Organizador. Entusiasta de mídia social sem remorso. Fanático por TV amigável. Amante de café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.