O plano estratégico propõe mais de 30 ações para a juventude de Tábua

O plano estratégico foi elaborado pelos dois membros eleitos do Conselho Municipal da Juventude de Tábua (CMJT) juntamente com três jovens convidados de diferentes áreas de atuação.

“Discutimos o que queríamos, o que sentíamos falta para os jovens de Tábua. Após sondagem de ideias, agrupámo-las por áreas de actuação”, disse um deles à agência Lusa, a 2 de setembro, quando o CMJT elegeu Beatriz Carvalho.

Este plano para a juventude inclui sete temas: desporto, turismo e lazer, inovação e empreendedorismo, educação, formação e capacitação, emprego e habitação.

Cidadania ativa, cultura e comunicação são outros temas que fazem parte do plano.

Em termos de educação, formação e capacitação, os jovens sugeriram a criação de uma espécie de “universidade aberta”, mas neste caso esperavam que durante o seu processo de formação os jovens pudessem “visitar empresas para ter o primeiro contacto com o mundo do trabalho em área de seus estudos”, explica Beatriz Carvalho.

A ideia é também criar um “Parlamento da Juventude” com jovens representantes das diferentes paróquias onde possam debater as necessidades e possibilidades de cada lugar.

Um dos problemas que os jovens encontraram em Tábua foi o facto de “a informação ser por vezes muito dispersa”.

Por isso, sugeriram a criação de um “canal de comunicação mais direto” onde pudessem encontrar todas as informações para os jovens.

Em termos de comunicação, propuseram um portal da juventude onde pudesse ser alojada toda a informação destinada aos jovens, bem como a criação do Provedor da Juventude, com o objectivo de permitir uma maior proximidade e incentivos à participação, bem como uma cidadania activa e interação entre eles promover serviços comunitários e juventude.

Outras propostas relacionadas com a inovação e o empreendedorismo incluem a criação de um gabinete da juventude para “apoiar os jovens no esclarecimento de dúvidas e questões durante o percurso escolar ou profissional e encaminhá-los para os serviços já existentes na comunidade”, sublinhou.

A preparação de um concurso de arte nas redes sociais, a fundação de um banco municipal de voluntários, a realização de campanhas de recolha de lixo e campanhas de recolha de bens são outras medidas.

Aleixo Garcia

"Empreendedor. Fã de cultura pop ao longo da vida. Analista. Praticante de café. Aficionado extremo da internet. Estudioso de TV freelance."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.