Músicos afegãos refugiados chegam a Portugal

Portugal acolheu na segunda-feira 273 refugiados afegãos, incluindo alunos e professores de uma escola nacional de música, que fugiram do Afeganistão para escapar às represálias do Taleban.

O Talibã baniu a música sob sua interpretação estrita da lei islâmica durante seu primeiro mandato entre 1996 e 2001, e há temores de que reintroduzam regras draconianas semelhantes depois de retornar ao poder em agosto.

Os músicos fugiram da capital afegã, Cabul, para o Catar em outubro, antes de serem reassentados em Portugal.

Ahmad Naser Sarmast, diretor do Instituto Nacional de Música do Afeganistão, disse que reabrir sua escola é um objetivo fundamental.

“O compromisso é reabrir esta escola. Temos uma missão (para que a) música do Afeganistão continue”, disse.

“Obrigado à comunidade internacional. Todos vocês salvam nossas vidas”, disse a estudante de música Shogula Safi ao chegar a um aeroporto militar na capital portuguesa de Lisboa.

O primeiro-ministro António Costa saudou a notícia no Twitter, dizendo que “estudantes, moças, rapazes e seus familiares terão a oportunidade de viver e continuar os estudos em Portugal”.

“Estou muito feliz porque vejo meus amigos sorrindo. Podemos continuar fazendo música. Isso me deixa muito feliz”, acrescentou Murtaza Mahammadi, músico do Instituto Nacional de Música do Afeganistão.

Segundo o governo, Portugal acolheu até agora 764 refugiados afegãos, na sua maioria jovens.

O país do sul da Europa recebeu dezenas de jogadoras da seleção feminina de futebol do Afeganistão e suas famílias em outubro.

Confira os vídeos mais recentes do DH:

Elite Boss

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.