Portugal combate os incêndios florestais em meio à seca, calor; 29 feridos | Mundo

LISBOA, Portugal (AP) – Mais de 3.000 bombeiros e 30 aviões lutaram contra um incêndio florestal no domingo em Portugal que as autoridades disseram ter ferido 29 pessoas.

As autoridades disseram que 12 bombeiros e 17 civis precisaram de assistência médica para tratar ferimentos leves causados ​​pelo incêndio, informaram a televisão estatal portuguesa RTP e outros meios de comunicação locais. Na tarde de domingo, a Agência de Proteção Civil de Portugal disse que mais de 3.000 bombeiros estavam combatendo um incêndio ativo.

A União Europeia ativou no domingo um programa de assistência à frota aérea de combate a incêndios que permite aos Estados-Membros partilhar recursos para ajudar Portugal. Espanha, que também sofreu incêndios florestais recentementeRespondeu rapidamente mobilizando dois aviões de combate a incêndios para serem enviados ao seu vizinho ibérico, segundo o comissário de crise da União Europeia, Janez Lenarcic.

Portugal sofre há muito tempo com grandes e por vezes trágicos incêndios florestais. Em 2017, os incêndios florestais ficaram fora de controle matou mais de 100 pessoas.

A União Europeia diz que as mudanças climáticas estão deixando o continente diante de um dos os anos mais difíceis para desastres naturais como secas e incêndios florestais.

Do outro lado da fronteira na Espanha, incêndios no sudoeste levaram as autoridades a evacuar 30 pessoas de suas casas por precaução. Cerca de 115 bombeiros apoiados por helicópteros e aviões foram mobilizados para extinguir as chamas perto da vila de El Ronquillo.

O primeiro-ministro português, António Costa, adiou esta semana os seus planos de visita a Moçambique “à luz das previsões meteorológicas que indicam um agravamento muito grave do risco de incêndio rural”.

O Presidente português Marcelo Rebelo de Sousa também cancelou a sua viagem a Nova Iorque, onde deveria falar no Conselho Económico e Social das Nações Unidas.

Em junho, 96% do país do sul da Europa foi classificado em seca “extrema” ou “grave”.

Os incêndios fizeram com que as autoridades aumentassem o status de alerta já existente. O governo português declarou no sábado estado de alerta máximo que durará até sexta-feira.

“Isso significa (…) que podemos ativar automática e preventivamente todos os planos de contingência e proteção civil em todos os níveis territoriais”, disse o ministro da Administração do Interior, José Luís Carneiro.

Os incêndios florestais ocorrem quando Portugal está passando por uma onda de calor com temperaturas previstas para atingir 43 graus Celsius (109 graus Fahrenheit). O país adotou restrições que proíbem o acesso público a florestas consideradas de risco particular, proibindo o uso de máquinas agrícolas e fogos de artifício proibidos.

Costa, em mensagem no Twitter, alertou os moradores para não iniciarem incêndios ao ar livre ou usar máquinas agrícolas pesadas que possam causar faíscas.

“Prevenir incêndios é a melhor ajuda que podemos dar aos nossos bombeiros”, escreveu o primeiro-ministro.


Siga todas as histórias da AP sobre questões de mudança climática em https://apnews.com/hub/climate.

Direitos autorais 2022 The Associated Press. Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuído sem permissão.

Fernão Teixeira

"Criador. Totalmente nerd de comida. Aspirante a entusiasta de mídia social. Especialista em Twitter. Guru de TV certificado. Propenso a ataques de apatia."

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *